segunda-feira, 4 de maio de 2009

Nine Inch Nails: 1989 - 2009

Agora é oficial, a banda vai acabar este ano. Os indícios foram deixados na página de tourneé do site.






Triste? Certamente. Mas compreensível. Afinal são 20 anos que a "banda" produz arte de vanguarda. Escrevo "banda" pois sabe-se que durante metade deste tempo ela possuía somente uma mente criativa, a de Trent Reznor. Durante a segunda metade, as tarefas de direção artística ficaram divididas entre ele e Rob Sheridan. Ainda assim, todas as composições musicais sempre foram frutos de Reznor. 

E agora, o homem quer descansar. Especula-se até que vai casar com uma mulher (melhor esclarecer). Ele tem meus votos de boa sorte. 

Sou fan e sentirei falta, especialmente das surpresas. Cada álbum se mostrava mais maduro e inovador. Os shows, sempre espetáculos inigualáveis. Força e vitalidade a cada nota. Não existe nada que possa se comparar ao trabalho do Nine Inch Nails. Nada.

As chuteiras da banda estão pinduradas, mas Trent Reznor ainda é jovem (com seus 40 e poucos anos) e já falou que quer investir seu tempo em outros projetos. Depois de Ghosts I-IV, especulo que será trilhas-sonoras. Ele também já produziu uma porrada de outros artistas. Uma coisa é certa: morto ele não está. Seja qual for seu próximo trabalho, tenho certeza que não vai decepcionar.

Vejo que a única pendência do Nine Inch Nails seria uma última passagem pelo Brasil. As chances são poucas, mas como diria mamãe: a esperança é a última que morre.

Cheers, Trent! Le Roi Est Mort, Vive Le Roi!

Um comentário:

Beth disse...

Que engraçado. Não tinha lido seu post ainda, mas hoje a caminho do trabalho caiu na "Me, I'm Not" no shuffle e deu vontade de ouvir NIN.