quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

A parede do meu apartamento é de papel

Tudo bem que são 3 da manhã, mas o velho filho-da-puta do meu vizinho ligou para reclamar do barulho. Estava tocando o violão dedilhando como baixo.

Toca o interfone e o Paulo, o simpático porteiro noturno, encaminhou, sem jeito, a reclamação. O interessante é que a reclamação foi referente ao instrumento e não à música que acompanhava no computador.

QUE SACO! Estou muito puto. Não gosto de incomodar os vizinhos. Mas ao mesmo tempo, não estava gerando ruído suficiente para a reclamação.

Antes do velho filho-da-puta mudar ao lado, podia ficar fazendo o barulho que quizesse que não tinha reclamação nenhuma. Dá pra se escutar tudo do corredor, mas uma vez que a porta está fechada, é impossível escutar qualquer coisa que venha do vizinho. O problema é a parede, que parece que foi feita de papel, e o vizinho que dorme com o ouvido encostado.

ESTOU MUITO PUTO. Se pretendo ficar neste apartamento, preciso providenciar um isolamento acústico para esta maldita parede. 

E que raios este velho está fazendo num prédio que só tem molecada, estrangeiro e viado?

Nenhum comentário: