sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Vocês já viram a 1,000,000? Em HD? Do palco?


IT. FUCKIN'. ROCKS! Não é uma questão de gosto pessoal. É um absoluto.

A formação 4-piece parece muito promissora. Adorei o build-up da intro.

É incrivel como minha mãe é igual a mãe do Leonard

-----------

Kartoon no Ton Ton


Ontem fui assistí-los mais uma vez. Como amigo do Pablo (guitarra, teclado e voz) e Thomaz (bateria e voz) há mais de 10 anos, é sempre um prazer vê-los tocar.

Desde o último show, o Pablo me desabafou que gostaria de colocar mais personalidade na banda, ter um visual mais apropriado. Figurino certamente não é a minha especialidade, mas creio que consigo preparar alguma coisa para projetar naquelas TV's. 

Quero fazer um teste. Alguém tem sete webcams para me emprestar?

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

A nova Polaroid

A fotógrafa Lisa Wiseman fez a descoberta. Ela usa o seu iPhone para tirar estas fotos espontâneas e esteticamente únicas.

Dica do Cult Of Mac.

A parede do meu apartamento é de papel

Tudo bem que são 3 da manhã, mas o velho filho-da-puta do meu vizinho ligou para reclamar do barulho. Estava tocando o violão dedilhando como baixo.

Toca o interfone e o Paulo, o simpático porteiro noturno, encaminhou, sem jeito, a reclamação. O interessante é que a reclamação foi referente ao instrumento e não à música que acompanhava no computador.

QUE SACO! Estou muito puto. Não gosto de incomodar os vizinhos. Mas ao mesmo tempo, não estava gerando ruído suficiente para a reclamação.

Antes do velho filho-da-puta mudar ao lado, podia ficar fazendo o barulho que quizesse que não tinha reclamação nenhuma. Dá pra se escutar tudo do corredor, mas uma vez que a porta está fechada, é impossível escutar qualquer coisa que venha do vizinho. O problema é a parede, que parece que foi feita de papel, e o vizinho que dorme com o ouvido encostado.

ESTOU MUITO PUTO. Se pretendo ficar neste apartamento, preciso providenciar um isolamento acústico para esta maldita parede. 

E que raios este velho está fazendo num prédio que só tem molecada, estrangeiro e viado?

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Sunday afternoon guitar lessons


Aprender (direito) a tocar violão é desafiador e frustrante, mas divertido e gratificante ao mesmo tempo.

O novo Garageband totally rocks! Pena que as Artist Lessons não estão disponíveis no Brasil ainda.

Still, beats the shit out of RockBand.

(oops. Today is not a Sunday. Just fells like one.)

Add.: O teacher chama-se Tim Blane.

domingo, 22 de fevereiro de 2009

Finalmente o Oscar não é mais tedioso

Desde o primeiro segundo, Hugh Jackman começou fazendo um incrível, inesperado e divertido trabalho.

O prêmio para "Melhor Atriz Coadjuvante" foi poético, honrado e emocionante.

Parece que as coisas este ano serão mais divertidas e interessantes. Vamos ver se eles conseguirão manter o mesmo nível até o final.

Add.: Sim.

Gotta get up to get down, baby




I'm a "yes man", you hear? No bullshitting will be accepted around these parts.

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Liza with "kg"


Esta merece até entrar no PhotoshopDisasters. Que tal uma mais realista?


That's better. ;-)

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

I've been working on a cocktail called "Grounds for Divorce"



Mondays is for drinking to the seldom seen kid

I've been working on a cocktail called "Grounds For Divorce", whoa
Polishing a compass that I hold in my sleep, whoa
Doubt comes in on sticks, but then he kicks like a horse, whoa
There's a Chinese cigarette case and the rest you can keep
And the rest you can keep
And the rest you can keep

There's a hole in my neighbourhood
Down which of late I cannot help but fall
There's a hole in my neighbourhood
Down which of late I cannot help but fall

Mondays is for drinking to the seldom seen kid

There's this whispering of jokers doing "Flesh by the Pound"
To a chorus of supposes from the little town whores.
There'll be twisted karaoke at the Aniseed Lounge
And I'd bring you further roses but it does you no good
And it does me no good
And it does you no good

There's a hole in my neighborhood
Down which of late I cannot help but fall
There's a hole in my neighborhood
Down which of late I cannot help but fall
There's a hole in my neighborhood
Down which of late I cannot help but fall

Someday we'll be drinking with the seldom seen kid

--

Acho que hoje estou mais sedento pela versão com zumbis. Die, zombies! Die!

Braid para PC!


Acaba de ser anunciado o jogo Braid para PC. Ele apareceu pela primeira vez em Agosto de 2008 no XBox 360 e já é considerado um novo clássico.

Posso classificá-lo como um puzzle-platformer, mas o seu engine de manipulação de tempo o torna único. Sinceramente, mesmo já tendo terminado, é difícil explicar como resolvi certos quebra-cabeças. Além de tudo o jogo é lindo. Visualmente e conceitualmente, incluindo uma das melhores últimas-fases da história. 

Com certeza, está no meu "Top 10 of all time", junto com Super Mario World, Half-Life 2, Metal Gear Solid, Silent Hill e GTA: Vice City.

Por 15 pilas gringas, seria uma ofensa não chamá-lo de pechincha.

Ah... por acaso mencionei que ele foi feito por uma única pessoa? Jonathan Blow, designer, programador, diretor e roteirista. A arte do jogo inteiro foi criada por David Hellman e a trilha é composta de músicas licenciadas, maestralmente escolhidas, entretanto. 

A low-budget masterpiece.

A entrevista que Jonathan deu para o 1Up Show também vale a pena.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Go wash your hands and fingers 'till your mind is clean



Time will swallow
Your precious time
Like magic create the future

What makes man so fickle ?
Who put the daggers in those eyes ?
Was it to learn
Through dark days of struggle ?
Was it to burn
To burst all our bubbles ?
Thunder and rain
Well the cynicle flame will it heat, stick and blister ?
Thunder and rain

Evangelistic brother
Should be banging a tambourine
Go wash your hands and fingers
Till your mind is clean

Was it your fate
To sleep like a normal ?
Time and decay
No man is immortal
Thunder and rain
Boredom and pain lit the cynical flame
Will it heat stick and blister ?
Thunder and rain
Still try to resist the pessimist
The pessimist no no

And these things I find
In the back of my mind
Where time lasts forever
I get all mixed
Think I'm all mankind

Listen Mr Pessimister
With your Catholic taste
Oh listen Mr Pessimister Pessimister
We do not relate
Listen Mr Pessimister, Pessimister, Pessimister
Mr Pessimister


--
Sempre suspeitei que esta foi pro Curt. Se sim: ouch...

Chega por hoje. Vou dormir.

Knives Out



Fui atrás da música, achei o vídeo. Uma preciosidade em plano sequência perdida de Michel Gondry.

I want you to know
He's not coming back
Look into my eyes
I'm not coming back

So knives out
Catch the mouse
Don't look down
Shove it in your mouth

If you'd been a dog
They would've drowned you at birth

Look into my eyes
It's the only way you'll know I'm telling the truth

So knives out
Cook him up
Squash his head
Put him in the pot

I want you to know
He's not coming back
He's bloated and frozen
Still there's no point in letting it go to waste

So knives out
Catch the mouse
Squash his head
Put him in the pot

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Smeared black ink




Your palms are sweaty,
and I'm barely listening
to last demands.
I'm staring at the asphalt wondering
"What's buried underneath where I am?"
(Where I am)

I'll wear my badge:
a vinyl sticker with big block letters
adhered to my chest.
It tells your new friends
"I am a visitor here... I am not permanent."
And the only thing keeping me dry is...

You seem so out of context,
in this gaudy apartment complex.
A stranger with your door key,
explaining that I'm just visiting.
And I am finally seeing
why I was the one worth leaving.
(I was the one worth leaving)

D.C. sleeps alone tonight.

(Where I am)
You seem so out of context
in this gaudy apartment complex.
(Where I am)
A stranger with your door key
explaining that I'm just visiting.
(Where I am)
And I am finally seeing
why I was the one worth leaving.
(I was the one worth leaving)

(Where I am)
The District sleeps alone tonight
after the bars turn out their lights.
(Where I am)
And send the autos swerving
into the loneliest evening.
(Where I am)
And I am finally seeing
why I was the one worth leaving.
why I was the one worth leaving.
why I was the one worth leaving.
why I was the one worth leaving.

Half-Life Live Action


Sou viciado em Half-Life. São experiências cinematográficas interativas únicas. Adoro tudo o que o pessoal da Valve tem feito com os jogos. E aparentemente não estou sozinho.

A dupla de irmãos canadenses, David e Ian Purchase, usou universo do jogo para criar uma série de curtas-metragens para testar técnicas de pós-produção. O resultado ficou fabuloso. 

Os dois primeiros episódios de Escape From City 17 custaram apenas CA$ 500. Lotado de cenários e personagens digitais, usando props, figurino e efeitos sonoros autênticos, os atores são encaixados perfeitamente ao lado dos temíveis Striders por técnicas de "match-move", enquanto a Citadel é consumida ao fundo. Quem assistiu Cloverfield sabe do que estou falando.

O site dos caras já caiu diversas vezes devido ao altíssimo tráfego. No YouTube é possível assistir uma versão em HD.

Espero que Hollywood nunca faça um filme do jogo. Nunca conseguirão chegar neste grau de competência.




Dica do pessoal do Meio-Bit Games.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

How come I end up where I went wrong?



A Gwyneth tem toda a razão. Not wrong at all. Realmente demorou muito pra eles entrarem. Foi lá pela 1h30 da manhã. Mas ficou magnífica.

Me pareceu até que o engenheiro de som estava tão empolgado que deixou tudo ficar saturado.

P.S.: Notem a piscadinha da moçoila ao maridão sentado na platéia, como se dizendo: "mas eu gosto mesmo é de vocês. Viu, benzinho?" :-P

Add.: O video anterior foi retirado do YouTube, mas o próprio Radiohead postou no Google Video.

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

"Velho, cachorro e criança é a mesma coisa."


Era o que o meu avô dizia.

Há algo de mágico em assistir um filme de David Fincher. O Curioso Caso de Benjamin Button não tem sequer um único frame desperdiçado ou um único minuto descartável.