segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Feliz Natal?


Pessoas se matando em nome de "deus". Existe algo mais insano?

Original: Galeria Estadão

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

A Ubisoft realmente sabe fazer trailers



Desculpem pelos links "ad-supported", mas as versões em alta resolução realmente valem a pena.

Música: Lonely Soul - U.N.K.L.E feat. Richard Ashcroft

Música: Seaglopur - Sigur Ros

Like the deserts miss the rain

Me bateu uma saudade forte agora. Pessoas, momentos. 

Na verdade, ela está comigo há muito tempo, enterrada, enfiada. Fechando os olhos posso ver, sentir, todos estes momentos. Coisas que vivi e experiências que me dei de presente há dez anos atrás. Lembro de tudo como se tivessem acontecido ontem. É muito forte. Me faz chorar. Um Rogério feliz e muito bem acompanhado de outras pessoas igualmente muito felizes.

O hoje é tudo muito diferente. Muito bom também. Mas diferente. Não tem o mesmo sabor.

Sinto falta do R.E.M. daquela época acompanhado de Vodka com Coca-cola fumando Hollywood mentolado no topo do Chateau. Sinto o vento frio e o sabor agridoce. Vejo as estrelas e os sorrisos girando em torno de mim. 

Hoje, tenho as lembranças. Então choro sozinho.



Ano que vem faço 30.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

O mundo seria ótimo se não fosse pelas outras pessoas.

"Meu negócio iria muito bem se não fosse pelos meus clientes."

"Meu hotel funcionaria se não fosse pelos hospedes."

"Meu namoro seria ótimo se não fosse pela minha namorada."

Este mundo é muito estranho mesmo.



quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Radiohead a venda já!


Uma hora antes do esperado. Já comprei para São Paulo e Rio. Não quis arriscar a fila.


Tive a felicidade de assistir os caras duas vezes este ano, em Amsterdam e na Bélgica. O show está do caralho. 

Os caras ao vivo são uns animais. O Thom Yorke é um alucinado. E em consequência a platéia também fica alucinada. É contagiante e maravilhoso.

A banda está muito séria nas questões ambientais. Resolveram desenvolver um sistema exclusivo de iluminação de baixo consumo. Tudo por LED, inclusive os holofotes principais. A energia usada para alimentar tudo é coletada por painéis solares em gigantes baterias. Vamos ver se virá o equipo completo pra cá.

Espero que, pelo menos, venham os bastões que ficam sobre o palco. Além das telas no fundo que projetam imagens da banda no estilo "circuito fechado de TV", os bastões complementam o visual com animações multicoloridas geniais. Na Weird Fishes/Arpeggi, parece que eles estão sob o mar. Na Everything In It's Right Place, o título da música corre pelas barras em 3D. Só vendo pra entender. E, pra finalizar, ficamos todos In Rainbows (pardon the pun). O difícil será decidir em assistir de perto ou de longe.

Deixo uns teasers abaixo. Já podem se preparar para bater palmas na 15 Step, cantar junto na Idiotèque e viajar ao som da Climbing Up The Walls.

Ah... recomendo procurarem o Torrent do show de Santa Barbara. O video está uma bosta, mas o audio está muito bom. "Radiohead SB Webcast". É um ótimo esquenta.




quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Confirmadas datas do Radiohead!



A notícia está espalhando como fogo pelos tubos das Internets.

Felizmente o bom senso reinou que não haverá "Pista VIP". Preparem-se, estes shows serão do caralho.

Valeu pela dica, Beth e Heitor.

sábado, 22 de novembro de 2008

Boxee


Acabou minha mamata da iTunes Store, mas hoje recebi algo muito melhor: meu convite de acesso ao Boxee, software de media center. Ainda em fase de testes, ele hoje funciona como o Orkut era no seu início, somente aceitando usuários por meio de convites. Fiz meu pedido pelo site há mais de dois meses.

Boxee foi desenvolvido com a intenção de ser gratuito e open-source, chegando primeiro ao MacOS X, Linux e recentemente ao AppleTV. Uma versão Windows está prestes a sair.

Ele tem uma interface muito elegante, chegando a superar a própria interface do AppleTV (a melhor do mercado, até o momento) e seu formato open-source traz inúmeras vantagens. A mais marcante é seu funcionamento como rede social, onde pode-se adicionar amigos, recomendar videos e música, compartilhando seus gostos pessoais com o resto do planeta. Devido ao seu formato modular, no Boxee também é possível conectar a outros serviços de distribuição de conteúdo online, anteriormente disponíveis somente por meio de um browser, como Last.fm e Picasa. A CNN e o canal Comedy Central também disponibilizam clipes ou mesmo programas inteiros. 

Infelizmente, a grande vantagem do software não está disponível fora dos EUA: sua conexão com a rede Hulu, um tipo de iTunes Store mantida por meio de anúncios, onde é possível assistir diversos episódios de TV instantaneamente, sob-demanda, de graça, dentro da lei.

Se você tem uma biblioteca extensa de arquivos AVI com eu, o Boxee os reconhece no disco local ou na rede, chegando até a inserir meta-dados como sinopse, ficha técnica e imagem de poster automaticamente. No caso de séries de TV, ele organiza os episódios por temporada, adicionando o título de cada um, não importa a forma como eles estejam organizados no disco. Simplesmente genial! Durante a reprodução de um vídeo ainda é possível pesquisar legendas na intenet e inserí-las imediatamente. 

Tudo isso por meio de um controle remoto (caso seu equipamento não o tenha, mouse e teclado também funcionam). Melhor impossível.

Fiquei realmente fascinado. 

Quem tiver interesse em experimentar, me dê um toque deixando seu e-mail que eu envio um convite.

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

A Apple resolveu abrir o olho


"Os termos e condições da iTunes Store mudaram.
(...)
Compras e locações da iTunes Store estão somente disponíveis para você dentro dos Estados Unidos e não estão disponíveis em nenhum outro local. Você concorda que não usará ou tentará usar a iTunes Store de fora do território de onde ela está disponível. A Apple pode usar tecnologias para verificar tal concordância."

Cliquei "Discordo". 

Tenho a impressão que vou perder minha conta e compras a qualquer momento.

terça-feira, 18 de novembro de 2008

domingo, 16 de novembro de 2008

"Momento histórico."

Palavras do Pablo para mim segundos antes de começar a tocar "Losing My Religion". 

Realmente, foi histórico. Foi a primeira vez que dividimos o palco.

Nos conhecemos há uns vinte anos e sempre o admirei. Quando moleques na escola, ele sempre teve bandas e sempre tocou com o seu irmão Thomaz. Além de guitarrista, Pablo toca baixo, piano, bateria, canta e ainda compõe.

Aquelas breves palavras foram de uma sensibilidade única. Me senti honrado. Especialmente por sentir que ele me colocou bem ao seu lado como um colega músico. 

Obrigado, amigo.

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Radiohead no Brasil em Março


Datas e locais ainda serão anunciados

O Thom sempre mencionou que não vinha para a América Latina pois não concordava com os preços dos ingressos. Portanto, quero ver... se inventarem "Pista VIP", quebro tudo.

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Em tempo: Barack Obama é o novo presidente. Michael Moore procura emprego.

Este post demorou pra sair. Estava esperando um momento propício. Depois que o Estadão publicou 50 curiosidades sobre o homem, achei que tinha chegado a hora.

O americano "médio" é realmente um bicho burro. Visitar a terra do Tio Sam depois de conhecer a Europa realmente foi uma experiência elucidativa. Tirando o quadro de pessoas inteligentes que moram na costa Leste e Oeste, o "miolo" dos Estados Unidos está recheado de bichos ignorantes. Preferem um idoso caquético, que pode ser diagnosticado com Alzheimer a qualquer momento, simplesmente pelo fato de ser "mais experiente". As pessoas esquecem que um governo são é regido por um único homem. É a cabeça dele que escolhe a equipe que vai servir o país.

O mundo precisava de uma mudança radical. Nada melhor do que um presidente americano jovem, negro, que já fumou maconha e cheirou pó, que não tem medo de gays, que não é um religioso radical, que fala espanhol e que não se chama John Smith. Tenho muitas esperanças neste homem. Só espero que ele não se mostre um "Collor".

Por que me importo? Infelizmente, não somos o Canadá e precisamos de estabilidade. Já vimos o que a ingenuidade americana pode fazer com a economia global.

Lembrei muito das coisas que o meu pai costumava dizer:

"O americano é o "burro que deu certo"."

"(...)aquele país de baleias que adoram mamar numa Coca-Cola e falam a língua do Pato Donald."

Nada além da verdade. 

Como um forasteiro, é notável que o país está a beira da implosão total e completa. O perigo é que ele se torne um buraco-negro e comece a engolir o resto do planeta. Só vai sobrar as baratas e a Suíça.

Adoro os meus eletrônicos da Apple, os meus sitcoms, os meus Mythbusters, os meus CD's do R.E.M. e os meus DVD's do Nine Inch Nails. Portanto, desejo muito o sucesso do U. S. of A.

E como um bom Chefe de Estado deve finalizar: que Deus abençoe a América. 

(Inserir hino americano aqui.)

terça-feira, 11 de novembro de 2008

"It's the Zombie Apocalipse. Bring friends."


A Valve Software está se preparando para lançar o seu novo projeto este mês: Left 4 Dead

O conceito do jogo está longe de ser original. Depois de uma infestação de um virus, quatro sobreviventes lutam pelas suas vidas de hordas de zombis mutantes assassinos. No cinema, já vimos isso diversas vezes, sendo o exemplo mais recente a série 28 Days Later escrita por Alex Garland. E nos games, Resident Evil da japonesa Capcom.

Apesar do assunto mais do que batido, os americanos da Valve decidiram colocar todas as referências num liquidificador e apresentar seu novo jogo de uma maneira totalmente original: será um "multiplayer cooperativo cinemático randômico". Usando uma linguagem visual de cinema, cada experiência será única, variando de acordo com o perfil do jogador. Há inclusive uma opção de caso o jogador morra, ele pode voltar como zumbi para atormentar os outros sobreviventes. E nada de mortos-vivos se arrastado. Os zombis de Left 4 Dead correm, muito.

Apesar dos asiáticos terem se destacado durante uma década, sinto que agora é a vez dos americanos e ingleses injetarem um pouco de humor e diversidade criativa no universo dos games. Gabe Newell, fundador da Valve, já é muito conhecido por ter criado a série Half-Life, que considero, sem dúvida, a melhor da história dos games. Nada mal para um ex-funcionário da Microsoft.

Assistam o video de abertura do jogo no site oficial. É divertidíssimo.

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Minhas aventuras com o Nine Inch Nails

Justin Meldal-Johnsen


Robin Finck

Ambos adoráveis.

Mais um Quiz


54 de 64. 84%.

Acertei com a dica a 19, 48 e 63. Não consegui identificar a 10, 20, 29, 50, 53, 58 e 60.


Dica do Gustado do Botadentro.com

The Reign of Kindo


Cheguei ontem. Foi uma experiência maravilhosa que, surpreendentemente, não se limitou a assistir shows, pegar autógrafos e tirar fotos. Depois de seguidos posts fotográficos, tenho muitos posts longos montados na minha cabeça, mas para o momento vou me limitar a um ligeiramente "off-topic".

Uma das surpresas da minha viagem foi achar o CD da banda The Reign Of Kindo em uma loja, misturado entre R.E.M.'s. 

Descobri a banda por intermédio do Thiago A. Tiago A., membro de uma das comus de NIN do Orkut. Infelizmente, ele não pode participar da festa por impedimento profissional. Em seu blog, que teve uma vida profunda porém curta, ele mencionou que descobrir a música deles foi uma das melhores coisas que lhe aconteceu recentemente, postando a letra da Hold Out, última música do CD, junto com um link para baixá-la. Me apaixonei instantaneamente.

Poderia classificar a banda como Jazz Contemporâneo. Uma mistura de Keane com Dave Matthews Band. Letras profundas com melodias complexas e arranjos brilhantes. A voz do vocalista é uma das mais belas que já ouvi em toda a minha vida, com trabalhos de harmonia feitos pelo próprio, similar ao trabalho do Phil Collins. Simplesmente brilhante. O melhor CD que já ouvi desde do Under The Iron Sea do Keane.

Não consegui achar o Thiago A.Tiago A. nem no Orkut para poder agradecê-lo. Espero que esteja tudo bem. 

Deixo aqui minha menção na esperança que ele leia e que vocês gostem também.

It's good to be back home.

Nada que um final de semana resolva

Palavras chave: trabalho; churrasco; msn; filmes; cinema; chopp; amigos; the+mars+volta; dirigir; madrugada; chuva; abraços.

Mas a que não foi citada acima, porém é a mais importante de todas: vazio.
Seria isso uma fuga da minha vida atual? Essa série de pensamentos passando pela cabeça que chegaram sem pedir licença? O que realmente importa na vida de alguém? Amor? Dinheiro? Estudos? Saudade? Distância? Tudo? Nada?
Esses questionamentos as vezes me machucam, as vezes me felicitam. Mas na maioria das vezes, me tornam inerte, mas nunca incólume.
O perigo da queda mais alta jamais vista me circunda, o risco não vai me deixar nenhum dia da minha vida daqui pra frente. E isso me assusta. Não que não seja forte, ou que não tenha coragem. Mas porque sou humano.
E como todo bom ser humano, estou mais do que sujeito a erros. E costumeiramente, uso esse direito com ênfase. Acho que ninguém gosta de errar, o sentimento do acerto é sempre tão melhor...mas o acerto tem que vir com certeza de estar certo, senão não vale a pena. Então, sempre que você não tiver certeza, não se dê como completamente certo. É um erro. Um tiro no pé. E eu já cansei de errar, mas o como que posso acertar que me atormenta. Não existe verdade ou certeza absoluta, tudo sempre poderá ser posto a prova. Só que vai caber a nós provar ou não. Argumentos derrubam tudo.
Acho que o meu sobrenome deveria ser "Interrogação".
E se isso é bom ou ruim, eu não sei.
É sempre bom se questionar e buscar a evolução constante, mas não confunda evoluir com se aperfeiçoar. Não quero ser perfeito, mas quero ser útil, a mim mesmo principalmente.

Estou vivo. Mas estar vivo, não é só respirar, ou o coração bater.
Preciso começar de vez a viver.
Talvez uma música do The Reign of Kindo [uma das melhores coisas que aconteceu comigo ultimamente (Zeteo, serei eternamente grato)] me mostre o caminho.
Quem sabe a próxima semana será melhor do que essa que terminou.
Pedi silêncio, mas ele não me obedeceu.

The Reign of Kindo - Hold Out

My memory is fleeting with age
As I prepare to touch my pen
To the fiber of this page
But the ink will run dry long before
I can write my final tale,
Given all that lies in store
I'm holding on for dear life
I barrel through the good times
After crawling through the strife
With every moment passing, never to return
I'm getting on in my days.
Sifting through the sadness for the gold of better days
So long as I keep breathing,
I can find my way

I just can’t give in
The world’s so dead that I am living in
I'll hold out for something else
Something words can never tell

I find my way beyond the dark
And straight into the light
If all else fails I'll have my wits to
Guide me through the night
I don’t dare to turn my head to either side

The wind bids me to sway,
Like the words that people say,
But they won’t sweep me away
Not today

I just can’t give in
The world’s so dead that I am living in
I'll hold out for something else
Something bigger than...
Something better than...
Something I can't stand to fight

www.myspace.com/thereignofkindo
Download dessa música aqui

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Justin e Robin no meu DVD do The Slip

Nine Inch Nails. Dia 2.

Duas horas e meia de estrada. Tranqüilo. Uma linha reta com quatro
faixas.

Cheguei na arena duas e pouco. Dessa vez, para garantir um lugar bom
na pista, fiquei na frente da fila até a abertura das portas, 18:30..
Os portadores de ingresso de pré-venda entraram 30 minutos antes. Foi
uma eternidade.

Como podem ver pelas fotos, fiquei quase na grade. E devo dizer que é
mais animal do que ver de longe. As luzes e imagens nas telas envolvem
de uma forma incrível. O palco estava baixo e muito perto.

Tirando as falhas na primeira tela, que destraiam um pouco,
especialmente na Only, o show foi animal. Algumas mudanças no set. A
Vessel foi a mais marcante. Explosões de ondas num fundo vermelho
"queima-retina".

No final do show meu bateu um super-deprê. Tive que passar nos fundos
novamente. Só pra garantir.

Tinham umas 10 pessoas esperançosas lá. 20 minutos depois aparece o
Justin saindo dos bastidores a caminho dos ônibus. De longe sacudi a
bandeira da Beth como um louco. Ele não tirou os olhos dela e entrou
no ônibus.

Minutos depois, ele chega até o portão falar conosco. Expliquei que
tinha vindo do Brasil só para ver os shows deles e perguntei quando
iriam tocar novamente lá.

Se sentindo mal pelos cancelamentos, ele explicou que um retorno seria
inevitável, o problema é decidir quando.

Mencionei a festa. "Fiquei sabendo dessa festa", responde. :-)
Perguntei se o livro que deixei com o Michael havia chegado nas mãos
dele. "Ah, você deixou com o "Lumpy"? Não o vi. Mas amanha vou
perguntar para ele onde está o livro e farei com que não se
perca." :-)

Não bastando a postura super atenciosa do Justin com todos, em seguida
apareceu o Robin. :-) Mais tímido, mas não menos atencioso, ele tb
foi paciente com todos, posando para fotos e assinando autógrafos.

Dani, ele é muito "dollie". Delicado como uma flor. Você estava lá
comigo.

Foi o final perfeito para a minha aventura. Missão cumprida, pessoal.
Gostaria que vocês estivessem aqui comigo. Voltei sozinho ao hotel.
Poderíamos fazer um estica pra comemorar.

Vejo vocês em breve.

Um abraço carinhoso.

Echoplex

A primeira tela deu muito pau.

Survivalism. A foda não é gay. :-P Mas é 10.

Terrible Lie

Piggy. Acústica e linda.

Ghosts "Z"

Ghosts "Y"

Ghosts "X"

Vessel. Meu queixo caiu.

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Health

Interactive

Pelo menos, ele recebeu o book.

Nada de bandeira tb.

Backdoor. Sem mamata dessa vez.

Frontdoor

Turning left.

Regalos del Backstage

Courtney. A coitada que não consegue superar o fim do namoro.

Nine Inch Nails. Dia 1.

Primeiro, desculpas ao pessoal do Orkut. Pressionei o botão Denunciar
Spam sem querer. Fazer tudo via iPhone é muito difícil.

Mas esclarecendo, o livro ESTÁ na mão do Trent. Confirmei com o
Michael depois do show.

Por pouco não conheci o homem em pessoa. Uma garota que conheci na
fila ganhou a promoção de uma rádio e poderia escolher mais alguém
para ir falar com o Trent. Ela me chamou mas 5 minutos depois voltou a
trás e resolveu ir com o ex-namorado. Nem preciso dizer que o cara é
o maior babaca do mundo. Não está nem a aí para a menina. E eu
fiquei com a maior cara de cú durante duas horas.

Bom, pelo menos ganhei um poster de edição limitada e um tour só
backstage com mais 5 outros felizardos que ela resolveu abençoar que
também estavam na fila.

Conheci outras pessoas muito legais. Fiz várias amizades. Os fans de
NIN sempre são simpáticos.

Estou exausto. Vou dormir. Amanhã tenho mais um show pela frente.

End