segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

O Rappa


Depois de assistir o show do The Police no sábado pelo Multishow, posso dizer que realmente não conhecia absolutamente nada da banda.

Tenho somente uma coletânea. E a performance do sábado me surpreendeu em todos os aspéctos. Desde o repertório de non-singles, versões consideravelmente diferentes dos singles e a capacidade de três músicos tirarem tanto som de seus instrumentos.

Devo destacar Wrapped Around Your Finger em versão "jazz", Roxanne com solos extendidos e When the World is Running Down, You Make The Best Of What's Still Around.

As levadas reggae repetitivas dos álbuns não fazem jus à capacidade que os músicos têm de estenderem e expandirem as músicas em todas as direções possíveis. Consigo imaginar que isto se dá principalmente ao fato deles terem amadurecido naturalmente com o tempo, desenvolvendo suas capacidades separadamente do grupo. E ao se juntarem novamente, mais de 20 anos depois do lançamento do seu último trabalho juntos, conseguiram gerar faíscas que incendiaram o público, mesmo os que estavam sentados no sofá, como eu.

Stewart Copeland tinha um equipamento de percussão que devia ter muito mais de 50 peças, incluindo um xilofone. Um verdadeiro alucinado na bateria. Andy Summers soube escolher muito bem os timbres da guitarra, dando volume e enchendo o som do trio. E Sting (Gordon Sumner, na vida real) caminhava no baixo como um malabarista do Cirque du Soleil na corda bamba. 

Só a título de curiosidade, Gordon também é o nome do ALF, o alienígena do seriado. ;-)

Sensacional e memorável. Espero um DVD em breve.

Um comentário:

Beth disse...

Demorei quase 24 horas para entender o porquê do nome do post.

Duhhh.