sexta-feira, 30 de novembro de 2007

(M)TV


Atualmente, a Music Television brasileira tem de tudo, menos video clips. A ferramenta de comunicação que lançou a rede há décadas atrás nos EUA, foi reduzida à versões teenagerísticas dos programas encontrados nas outras redes de tv aberta. Alguns, devo dizer, são muito bons. Mas e os clipes?

A justificativa da diretoria foi que clips serviriam mais para os novos canais de comunicação como o MTV Overdrive, portal estilo YouTube que a MTV montou. Mas assistir clips na TV ainda é uma coisa legal. Especialmente se eles foram colocados cuidadosamente em uma ordem específica. Separados por tema. Ou estilo. Ou diretor. Como num programa de rádio. Você conhece o DJ. Confia no seu gosto e escuta o programa para, quem sabe, aprender um pouco mais de música e conhecer artistas novos.

Qual a graça de ficar baixando sempre as mesmas músicas da internet? Assistir os mesmos clips?

Agora são 3h50. Ligo a TV para ter companhia: MTV Lab. "Um programa de clips. Que legal!" Mas peraí. Esses clipes... são todos do Director's Label. Putz... Os caras enfiaram os DVDs do Michel Gondry, do Spike Jonze, do Anton Corbijn, do Mark Romanek, apertaram o Random e beleza.
É assim que se monta programação de clips, MTV Brasil? 

Quem te viu, quem te vê. Hein, eme-tê-vê?

Nenhum comentário: