sexta-feira, 16 de novembro de 2007

I made you. Now I take you back.

Este post é composto de duas partes.

A primeira é para anunciar que o Interpol,uma das minhas bandas favoritas, vem em Março para o Brasil. Dia 11 em São Paulo, no Via Funchal. Desta vez o Last.fm estava certo. Assiti eles na Bélgica no Rock Werchter. Muito bom. Mas choveu canivetes e estava há milhas de distância do palco. Desta vez, vou colar na grade.

E para celebrar o evento, apresento part deux: mudança de nome do blog. Ele começou como "Turn On The Bright Lights". Uma referência à música NYC do primeiro álbum da banda. Mas rapidamente mudei para "sem compromisso", algo mais relevante à época. 

Atulamente tenho muitos compromissos. Todos eles comigo mesmo. Mas para conseguir cumpri-los preciso de muita luz, e não de forma figurativa. Não que seja uma pessoa "iluminada". Se fosse, já estaria morto. Preciso de luz mesmo. Iluminação. Eletricidade. Muitos amplificadores, fesnéis, câmeras, microfones, PowerBooks rodando FinalCut, Photoshop e o escambau.

I made you, now I take you back. Today my heart swings. Fuck. Turn on the bright lights.

Um comentário:

Beth disse...

Estava com esta música na cabeça e procurei estes versos no google para transcrever aqui...

"Artificial light could hardly penetrate the gloom
(...)
Now I can rest here after my journey
Now I can feed here before I continue..."
(The Day The Light Went Out, Genesis)

...o que me fez cair nesta:

"Well there's a place where two worlds collide
The pile of stone against the pull of the tide
You can stay with your feet on the ground
Or step into the water, leave the dry behind

On the shoreline
Meet me on the shoreline
Where you can only swim if you try..."
(On The Shoreline, Genesis)

Que não fala sobre luz, mas chega ao ponto que eu queria. Então, use de toda luz artificial de que precisar, querido. Mas... acho que você já me entendeu. ;-)