quinta-feira, 13 de outubro de 2005

Ó inverno do nosso descontentamento foi convertido agora em glorioso verão por este sol de Cupertino...


Como numa peça de Shakespeare, a Apple muda mais uma vez o rumo da história da informática numa apresentação memorável, separada em três atos.

Ato I - O Novo iMac

A Apple não tem pressa em lançar novos produtos. Especialmente quando eles apresentam novos conceitos e padrões de uso. Enquanto as outras empresas correm atrás de seus próprios rabos, a Apple está pesquisando, pesquisando e pesquisando.

Eles resolvem então transformar o novo iMac num Media Center ... Apple style. Incluiram uma câmera de vídeo para video conferência, deixam mais fino, padronizam Superdrive (gravador de DVD) e um controle remoto ... com 6 botões. Design similar ao iPod Shuffle mas acrescentando um botão Menu. Mais simples impossível.

Pressionando a tecla Menu, o seu desktop lentamente vai se distanciando e sumindo para abrir espaço a uma interface com quatro icones: Música, Fotos, Filmes e DVD (sombras, reflexos e efeitos de escala já incluídos graças ao CoreImage). Ao selecionar uma das opções, a interface apresenta um menu similar ao do iPod, onde pode-se acessar rapidamente todas as suas bibliotecas digitais, visualizando-as na tela do iMac ou numa TV.

Não existe nenhuma versão específica do Sistema Operacional para fazer isso, como o Windows XP Media Center Edition. Tudo acontece graças a um único aplicativo inédito, o Front Row, que gera a interface simplificada de acesso pelo controle remoto. Todo o resto já existe no MacOS Tiger que é distribuído atualmente. Com este grau de otimização, no futuro existe a possibilidade de todas as máquinas da Apple serem Media Centers.

Ato II - O novo iPod

"Sim, ele toca vídeo." Alem de fotos, música, jogos, calendário, agenda, relógio mundial... Também está mais fino, mais leve, tem mais espaço, mais autonomia e uma tela maior. De 2,5" com 320 x 240 pixels para ser mais exato. Altíssima densidade. Tem um processador que decodifica arquivos em MPEG4 e H.264 (novo padrão da indústria) à 30 quadros por segundo. Assita no metrô, no carro, na sala de espera do dentista. Ou ligue na TV (cabo não incluído, claro) e você já se tornou um VJ na festa do seu amigo.

O novo iPod e o iPod nano irão garantir um fim de ano muito próspero para a Apple ($ka-ching$).

Ato III - A nova iTunes Music Store

O 3º ato de uma peça existe para justificar a existência dos dois primeiros. Ou será ao contrário? Enfim... cinco semanas depois de lançar a versão 5, a Apple lança a versão 6 do iTunes. Com tantos novos produtos, a atualização se fez necessária, se não imprescindível. Mas não é qualquer atualização.

Nesta mesma época no ano passado, ao presentar o iPod Photo, Jobs disse que seus concorrentes estavam dando tiros no escuro, lançando aparelhos que tocam vídeo, caros demais e grandes demais para caberem no bolso. E ainda perguntou: "onde está o conteúdo para colocar nestes aparelhos". Não são todas as pessoas que querem, ou têm a paciência baixar videos ilegalmente da internet, converte-los para um formato compatível durante a noite e ainda copiá-los para o aparelhinho. Ufa!

A Apple já tem a melhor infraestrutura para distribuição de músicas pela internet. Bastou apertar alguns botões, assinar alguns contratos ... presto! Mas não são qualquer contratos. Agora é possível comprar videoclips, curtas de animação da Pixar e programas de TV por US$ 1,99. Mas não são qualquer programas. Que tal Desperate Housewives e Lost? Um dia depois deles irem para o ar. Ainda não está bom? Que tal a primeira temporada inteira?

Pois é, a Apple fecha um contrato com a ABC, emissora das duas séries de maior sucesso dos EUA, e cria um mais um marco na história da informática. A apresentação contou até com a presença de Bob Eiger, presidente da Disney, que é dona da ABC.

Lógico que tudo isso só está disponível para residentes de países onde a Music Store está operando atualmente. Nós, latino-americanos, ainda ficamos na mão. Por enquanto, vou usar o novo iTunes para organizar minha extensa biblioteca de clips e comerciais da Apple.

Bis - "It's all about the music."

Para encerrar com chave de ouro, o trompetista Winton Marsalis e sua banda deram uma canja com um jam fabuloso de 15 minutos.

Assistam a apresentação aqui. Ou pule para 1:05:15 e assita o jam de Winton.

Nenhum comentário: