terça-feira, 25 de outubro de 2005

Projeto para uma nova gramática

Fico uma semana sem postar e ainda não escrevo nada de original... A verdade é que não consegui me conter. Esse post é muito bom. Não conheço a autora, mas visitem o blog dela.
4.9.05

Eis aqui um programa de cinco anos para resolver o problema da falta de autoconfiança do brasileiro na sua capacidade gramatical e ortográfica. Em vez de melhorar o ensino, vamos facilitar as coisas, afinal, o português é difícil demais mesmo. Para não assustar os poucos que sabem escrever, nem deixar mais confusos os que ainda tentam acertar, faremos tudo de forma gradual.

No primeiro ano, o “Ç” vai substituir o “S” e o “C” sibilantes, e o “Z” o “S” suave. Peçoas que açeçam a internet com freqüênçia vão adorar, prinçipalmente os adoleçentes. O “C” duro e o “QU” em que o “U” não é pronunçiado çerão trokados pelo “K”, já ke o çom é ekivalente. Iço deve akabar kom a konfuzão, e os teklados de komputador terão uma tekla a menos, olha çó ke koiza prátika e ekonômika.

Haverá um aumento do entuziasmo por parte do públiko no çegundo ano, kuando o problemátiko “H” mudo e todos os acentos, inkluzive o til, seraum eliminados. O “CH” çera çimplifikado para “X” e o “LH” pra “LI” ke da no mesmo e e mais façil. Iço fara kom ke palavras como “onra” fikem 20% mais kurtas e akabara kom o problema de çaber komo çe eskreve xuxu, xa e xatiçe. Da mesma forma, o “G” ço çera uzado kuando o çom for komo em “gordo”, e çem o “U” porke naum çera preçizo, ja ke kuando o çom for igual ao de "G" em “tigela”, uza-çe o “J” pra façilitar ainda mais a vida da jente.

No terçeiro ano, a açeitaçaum publika da nova ortografia devera atinjir o estajio em ke mudanças mais komplikadas serão poçiveis. O governo vai enkorajar a remoçaum de letras dobradas que alem de desneçeçarias çempre foraum um problema terivel para as peçoas, que akabam fikando kom teror de soletrar. Alem diço, todos konkordaum ke os çinais de pontuaçaum komo virgulas dois pontos aspas e traveçaum tambem çaum difíçeis de uzar e preçizam kair e olia falando çerio já vaum tarde.

No kuarto ano todas as peçoas já çeraum reçeptivas a koizas komo a eliminaçaum do plural nos adjetivo e nos substantivo e a unificaçaum do U nas palavra toda ke termina kom L como fuziu xakau ou kriminau ja ke afinau a jente fala tudo iguau e açim fika mais faciu. Os karioka talvez naum gostem de akabar com os plurau porke eles gosta de eskrever xxx nos finau das palavra mas vaum akabar entendendo. Os paulista vaum adorar. Os goiano vaum kerer aproveitar pra akabar com o D nos jerundio mas ai tambem ja e eskuliambaçaum.

No kinto ano akaba a ipokrizia de çe kolokar R no finau dakelas palavra no infinitivo ja ke ningem fala mesmo e tambem U ou I no meio das palavra ke ningem pronunçia komo por exemplo roba toca e enjenhero e de uzar O ou E em palavra ke todo mundo pronunçia como U ou I, i ai im vez di çi iskreve pur ezemplu kem ker falar kom ele vamu iskreve kem ke fala kum eli ki e muito milio çertu ? os çinau di interogaçaum i di isklamaçaum kontinuam pra jente çabe kuandu algem ta fazendu uma pergunta ou ta isclamandu ou gritandu kom a jenti e o pontu pra jenti sabe kuandu a fraze akabo.

Naum vai te mais problema ningem vai te mais eça barera pra çua açençaum çoçiau e çegurança pçikolojika todu mundu vai iskreve sempri çertu i çi intende muitu melio i di forma mais façiu e finaumenti todu mundu no Braziu vai çabe iskreve direitu ate us jornalista us publiçitario us blogeru us adivogado us iskrito i ate us pulitiko i u prezidenti olia ço ki maravilia.

Cyn City

quarta-feira, 19 de outubro de 2005

Nochnoy dozor

Há muitos séculos atrás, os Protetores da Luz e os Guerreiros da Escuridão travaram a sua última e mais sangrenta batalha. Eles decretaram uma trégua e desde então têm vivido uma guerra fria onde os Protetores da Luz habitam o dia e são vigiados pelos Guerreiros da Escuridão, e vice-versa.

"Isso me parece muito familiar", você deve estar pensando. Também indaguei isso. Forças do bem contra forças do mal ... blá, blá, blá. Provavelmente, alguns vampiros ou lobisomens devem estar envolvidos. Pois é, pensei tudo isso até descobrir que se tratava de uma trilogia de quadrinhos que recentemente foi levada ao cinema ... por russos!

Night Watch (ou no seu título original, Nochnoy dozor) chegará finalmente às telas brasileiras no dia 18 de novembro com o título Guardiões da Noite. O filme, produzido inteiramente na Rússia, foi lançado ano passado e só agora chega ao mercado internacional. Assisti o primeiro trailer no site da Apple em 2003. Fiquei boquiaberto com as imagens. Desde então tenho caçado ele nos sites de P2P e recentemente consegui baixá-lo por completo. Mas só assisti metade. Depois de saber que ele poderá ser visto na tela grande, desistí de vê-lo.

Carregado de influências de outros filmes do gênero como Underworld e Van Helsing, Guardiões da Noite traz referências de outros gêneros e diretores como Alex Proyas (O Corvo, Dark City), Francis Lawrence (Constantine) e dos Irmãos Warchowsky (Matrix, Bound). Mas se formos colocar na ponta do lápis, ele é tão original quanto, pois alguns desses filmes foram produzidos na mesma época. Para começar, a direção de arte e a fotografia são estranhamente mais coloridas e claras do que seus contemporâneos, criando uma atmosfera inédita para filmes do gênero.

O filme é a terceira produção do diretor/co-roteirista Timur Bekmambetov que é considerado o líder em direção de vídeos pop e de propaganda da Rússia. Ele já está concluindo a pós-produção da continuação (Day Watch) e está em pré-produção para o terceiro.

Vamos aguardar...

sexta-feira, 14 de outubro de 2005

Pamonha, pamonha, pamonha...

Estou arrumando minha casa e achei várias coisas que não quero mais. Resolvi colocar no Mercado Livre. Em menos de um dia recebi lançes. Incrível como nossas tranqueiras tem valor para outras pessoas.

Quem se interessar pode dar seus lances aqui. :-)

quinta-feira, 13 de outubro de 2005

He IS Rael!

Quase uma semana se passou e eu ainda não tinha escrito nada sobre o show do Musical Box.

A banda canadense me surpreendeu. O conceito do trabalho deles é reproduzir com mais detalhes possíveis os shows do Genesis de 1971 a 1975, época em que Peter Gabriel se maquiava, voava no palco, se travestia de raposa ... tudo em nome da arte. Na turne de 1974-1975, The Lamb Lies Down On Broadway, o cuidado com os detalhes foi impecável. O album duplo conta a história de Rael, arruaceiro de Nova York que se perde em um caos surreal depois que uma gigatesca nuvem de lã (?) desce sobre Manhatan. Mas como não existem registros oficiais da tourne de 1975 em video, o Musical Box entrou em contato com os integrantes originais e técnicos da época para buscar detalhes. Desde o posicionamento dos integrantes da banda no palco até os slides projetados ao fundo, tudo foi reproduzido com precisão. Eles são a única banda no mundo autorizada pelos integrantes originais à executar oficialmente o show.

O resultado é surpreendente. A começar que a voz do vocalista Denis Gagné é idêntica à de Peter Gabriel. Sua postura no palco também é. Os outros integrantes também fazem performances carbonadas. Incrível! A parte técnica é revolucionária, mesmo para padrões atuais. Três projetores independentes lançam imagens estáticas que complementam a trama da trajetória de Rael. As imagens foram produzidas exclusivamente para o show, muitas delas se utilizando de fusões óticas para gerar as paisagens surreais da Manhatan paralela. Luzes verdes, vermelhas e azuis se mesclam sobre os integrantes da banda criando infinitas variações de cores. Como qualquer espetáculo cênico, há trocas de figurino do vocalista que interpreta o papel de Rael. O cilindro de pano, mostrado na imagem acima, representa a Lamia, criatura meio mulher, meio serpente que seduz o personegem, mas que depois é comida por ele.

Para falar a verdade, a história é tão confusa que até hoje não entendi. Mas isso não tira nenhuma qualidade do espetáculo. Tinham muitos fans por lá. Pude notar pelo coro que se formou ao chegar no refrão da música Carpet Crawlers. Verdadeiramente memorável. O show contou também com duas músicas no biz: The Musical Box e Watcher Of The Skies. Figurino incluído.

----
Quase não consegui chegar a tempo. A Heitor Penteado estava em reformas. Tive que cortar por dentro, cai na Pompéia e peguei a Coriolano, estacionando na saída dos fundos do Olympia. Quinze minutos atrazado, cheguei ofegante até descobrir que o show estava mais atrasado que eu. Começou 40 minutos depois. Liguei para o Adriano, meu amigo fan que iria no mesmo dia. Ele estava sentado no balcão, mais longe do palco. Na minha mesa não tinha mais ninguem, portanto chamei ele para sentar comigo. No final, aguardei os integrantes sairem e peguei autógrafos. O guitarrista, François Gagnon, achou estranho eu pedir para ele autografar o album original do Genesis. "Você deveria pegar nosso autógrafo no programa do show que estava sendo vendido no lobby." Estava sem dinheiro. "Pardon." As chances de pegar os autógrafos dos integrantes originais são praticamente nulas. But it's close enough.

Ó inverno do nosso descontentamento foi convertido agora em glorioso verão por este sol de Cupertino...


Como numa peça de Shakespeare, a Apple muda mais uma vez o rumo da história da informática numa apresentação memorável, separada em três atos.

Ato I - O Novo iMac

A Apple não tem pressa em lançar novos produtos. Especialmente quando eles apresentam novos conceitos e padrões de uso. Enquanto as outras empresas correm atrás de seus próprios rabos, a Apple está pesquisando, pesquisando e pesquisando.

Eles resolvem então transformar o novo iMac num Media Center ... Apple style. Incluiram uma câmera de vídeo para video conferência, deixam mais fino, padronizam Superdrive (gravador de DVD) e um controle remoto ... com 6 botões. Design similar ao iPod Shuffle mas acrescentando um botão Menu. Mais simples impossível.

Pressionando a tecla Menu, o seu desktop lentamente vai se distanciando e sumindo para abrir espaço a uma interface com quatro icones: Música, Fotos, Filmes e DVD (sombras, reflexos e efeitos de escala já incluídos graças ao CoreImage). Ao selecionar uma das opções, a interface apresenta um menu similar ao do iPod, onde pode-se acessar rapidamente todas as suas bibliotecas digitais, visualizando-as na tela do iMac ou numa TV.

Não existe nenhuma versão específica do Sistema Operacional para fazer isso, como o Windows XP Media Center Edition. Tudo acontece graças a um único aplicativo inédito, o Front Row, que gera a interface simplificada de acesso pelo controle remoto. Todo o resto já existe no MacOS Tiger que é distribuído atualmente. Com este grau de otimização, no futuro existe a possibilidade de todas as máquinas da Apple serem Media Centers.

Ato II - O novo iPod

"Sim, ele toca vídeo." Alem de fotos, música, jogos, calendário, agenda, relógio mundial... Também está mais fino, mais leve, tem mais espaço, mais autonomia e uma tela maior. De 2,5" com 320 x 240 pixels para ser mais exato. Altíssima densidade. Tem um processador que decodifica arquivos em MPEG4 e H.264 (novo padrão da indústria) à 30 quadros por segundo. Assita no metrô, no carro, na sala de espera do dentista. Ou ligue na TV (cabo não incluído, claro) e você já se tornou um VJ na festa do seu amigo.

O novo iPod e o iPod nano irão garantir um fim de ano muito próspero para a Apple ($ka-ching$).

Ato III - A nova iTunes Music Store

O 3º ato de uma peça existe para justificar a existência dos dois primeiros. Ou será ao contrário? Enfim... cinco semanas depois de lançar a versão 5, a Apple lança a versão 6 do iTunes. Com tantos novos produtos, a atualização se fez necessária, se não imprescindível. Mas não é qualquer atualização.

Nesta mesma época no ano passado, ao presentar o iPod Photo, Jobs disse que seus concorrentes estavam dando tiros no escuro, lançando aparelhos que tocam vídeo, caros demais e grandes demais para caberem no bolso. E ainda perguntou: "onde está o conteúdo para colocar nestes aparelhos". Não são todas as pessoas que querem, ou têm a paciência baixar videos ilegalmente da internet, converte-los para um formato compatível durante a noite e ainda copiá-los para o aparelhinho. Ufa!

A Apple já tem a melhor infraestrutura para distribuição de músicas pela internet. Bastou apertar alguns botões, assinar alguns contratos ... presto! Mas não são qualquer contratos. Agora é possível comprar videoclips, curtas de animação da Pixar e programas de TV por US$ 1,99. Mas não são qualquer programas. Que tal Desperate Housewives e Lost? Um dia depois deles irem para o ar. Ainda não está bom? Que tal a primeira temporada inteira?

Pois é, a Apple fecha um contrato com a ABC, emissora das duas séries de maior sucesso dos EUA, e cria um mais um marco na história da informática. A apresentação contou até com a presença de Bob Eiger, presidente da Disney, que é dona da ABC.

Lógico que tudo isso só está disponível para residentes de países onde a Music Store está operando atualmente. Nós, latino-americanos, ainda ficamos na mão. Por enquanto, vou usar o novo iTunes para organizar minha extensa biblioteca de clips e comerciais da Apple.

Bis - "It's all about the music."

Para encerrar com chave de ouro, o trompetista Winton Marsalis e sua banda deram uma canja com um jam fabuloso de 15 minutos.

Assistam a apresentação aqui. Ou pule para 1:05:15 e assita o jam de Winton.

segunda-feira, 10 de outubro de 2005

iPod Video, at last? 2

Consegui a imagem do convite para o evento da Apple desta quarta-feira. Pelo layout do convite e a escolha do local, parece inevitável o lançamento do iPod Video. Especula-se que o aparelhinho terá espessura menor que o iPod 60Gb, mas terá uma tela maior, capacidade superior ou igual a 80 Gb e cor diferenciada, seguindo o sucesso do iPod nano preto. Vamos aguradar para conferir...

----
A frase "One more thing..." faz referência ao bordão usado por Steve Jobs no final de todas as suas palestras, quando geralmente deixa para anunciar o produto mais aguardado do dia.

sexta-feira, 7 de outubro de 2005

Flickr

This is a test post from flickr, a fancy photo sharing thing.

Nós ♥ Katamari


Sábado passado, a Dani e eu passamos mais de seis horas jogando We ♥ Katamari no PS2 e descobrimos que nós também ♥ o bendito jogo.

Ele é a continuação de Katamari Damaci que foi lançado em 2003 e foi um sucesso estrondoso no mundo tudo. O conceito dele é, ao mesmo tempo, estranhamente surreal e absurdamente fácil de compreender:

O Rei de Todo o Cosmos, um ser gigantesco do tamanho da Via Láctea num ataque de felicidade, derrubou todas os astros do céu, inclusive a Lua. Agora ele passou o trabalho de colocar todos eles de volta para seu filho, o Príncipe, com 5 cm de altura.

Para isso, ele deve juntar o maior número de objetos na Terra e entrega-los para o Rei, para que ele possa lançar aos céus e criar novos astros. Você comanda o Principe, que usa de uma Katamari para coletar os objetos. Basicamente, a Katamari é uma bola de chiclete que deve ser rolada, rolada e rolada para todos os cantos, coletando tudo o que aparece pela frente: lápis, borrachas, clips, folhas de papel, pilhas, frutas, alimentos de todos os tipos, insetos, pequenos mamíferos, aves, plantas, carros, pessoas, prédios ... tudo. Nas fases mais avançadas, você chega a rolar ilhas, nuvens e continentes inteiros (!).

Parece fácil? But there is a catch: só se pode rolar objetos menores que a Katamari.

A direção de arte do jogo é maravilhosa. Para poder carregar fases enormes, o jogo precisou abrir mão da complexidade gráfica dos objetos. A maioria deles não tem mais que 10 polígonos. Mas isso não tira nem um pouco do charme do jogo. A jogabilidade é tão simples que qualquer um que nunca colocou as mãos no controle do PS2 começa a ficar craque em menos de 10 minutos. Tudo é feito pelos dois controles analógicos, nenhum botão é usado. Totally adictive! Tudo isso servido por músicas hilárias cantadas em japonês.

Consegui pôr as mãos no primeiro jogo há uns três meses. Acabei em menos de cinco horas. Ele tem por volta de 20 fases. Mas não fui o único a gritar por mais. A Namco lançou o segundo e colocou "mais do mesmo" com muita diversidade.

No universo de We ♥ Katamari, aparentemente somente um raio de alguns milhares de qilômetros está povoado por astros, ainda est"ao faltando todos os outros planetas do sistema solar. Por isso, todo o mundo pediu ao Cosmos por mais diversão. O Rei acabou ficando tão "inflado" de elogios que não dá mais atenção a ninguem. Ele mandou o Principe de volta para a Terra, tratar com os despresíveis pedidos dos terráqueos. E criatividade começa no menu principal: um tela 2D apresenta o ambiente da Terra. Você controla o Príncipe que aborda cada um dos terráqueos que vão aparecendo aos poucos. Eles trazem pedidos ao Rei, que os serve magnanimamente com fases muito divertidas. Mas só depois de muita bajulação por parte dos terráqueos. Não parávamos de dar risada.

Minha teoria de que qualidade gráfica não se compara a criatividade é mais uma vez provada. Se você não tem um PS2, compre um já e jogue We ♥ Katamari. Se você já tem um, o que está esperando?

Na, naaaaaa, na, na, na, na, na, na, na. Na, naa, na, na, na, na.

Eu escuto. Tu escutas. Nós escutamos.


A fase de emprestar CD's já era! Agora, com a Last.fm, você consegue escutar as músicas preferidas do seu amigo e conhecer novas.
Criado com base na formula Orkut de sucesso, o site funciona como um banco de dados dinâmico, adicionando no seu perfil todas as músicas que você escuta no seu MP3 player, podendo assim sugerir novas músicas baseado no seu gosto pessoal. Basta instalar um plug-in compatível com Mac, Windows, Linux e Amiga (!!).
Como no Orkut, também existem grupos. O sistema então sugere músicas que outros membros estejam escutando, aumentando as chances de conhecer pessoas que tem os mesmos gostos, ou músicas que você pode gostar também. Com o Last.fm Player (foto acima), é possível escutar todas essas músicas baixadas em streaming de altíssima qualidade (128 kbps!), com direito a imagem de capa e tudo.
O site também gera estatísticas interessantes: na semana do dia 2/10, Colplay foi a banda mais ouvida: 166.444 vezes por 22.111 usuários diferentes. Seu maior fan, já escutou suas músicas 7.022 vezes. Mas a música mais ouvida foi Such Great Hights, do The Postal Service, 11.408 vezes por 5.513 usuários. Seu maior fan a escutou 478 vezes!
Talvez por essas razões que o site recebe este nome. Você nunca mais vai querer escutar rádio convencional novamente.

quarta-feira, 5 de outubro de 2005

iPod Video, at last?

A Apple acaba de mandar um convite para um evento especial que irá ocorrer no dia 12 de outubro. Especulações indicam que será o lançamento do iPod Video.

Sigur Rōs : Glōsōli

Belíssima fotografia, figurino primoroso. Mais uma obra prima de uma das minhas bandas favoritas. Os islandeses do Sigur Rōs estão sempre se superando. Parece que as narrativas sempre tratam da inocência infantil, desta vez permeada pelas incríveis paisagens de solos vulcânicos de sua terra natal. Ainda vou visitá-las.

terça-feira, 4 de outubro de 2005

Contexto é tudo

Seria possível transformar o maior blockbuster do mundo em um filme de terror cheio de cliches? Que tal o filme mais assustador da história numa comédia dramática com tom familiar?