quinta-feira, 22 de dezembro de 2005

Meus 15 Minutos de Fama

Até agora... :-)

Madrugada com Darth Vader atrai 12 mil fãs em SP
BRUNO YUTAKA SAITO
MARCO AURÉLIO CANÔNICO
DA REDAÇÃO - FOLHA de SP
24/05/2005

Quando chegava a meia-noite e os funcionários do cinema se preparavam para checar os bilhetes de entrada, os fãs brasileiros de "Star Wars" sentiam na pele as dificuldades para controlar sentimentos como medo, raiva e ansiedade, que tanto guiam a mitologia da saga. Era a estréia nacional de "Star Wars: Episódio 3 - A Vingança dos Sith", na madrugada de ontem, e enormes filas mostravam que a expectativa para a conclusão da saga era ainda maior.
"Cheguei às 14h [de anteontem]", dizia o estudante Alan Marques, 20, o primeiro na fila do Jardim Sul. "Espero por esse filme há 28 anos", afirmou Maudy Pedrão, 34, do site Jedi Mania.
A devoção reflete-se nessa exibição. Em São Paulo, 26 salas traziam a sessão notívaga -o número está previsto para subir para 106. Até a conclusão desta edição, às 14h de ontem, a Folha apurou que ao menos 12 mil ingressos foram vendidos para a estréia em SP, enquanto as exibidoras Cinemark e UCI tinham 15 mil ingressos vendidos no resto do país.
"A Vingança..." desperta a atenção porque revela o surgimento do vilão Darth Vader. Não é de estranhar que o personagem seja o grande astro da noite. Nos dois cinemas visitados pela Folha, a quantidade de fãs fantasiados como o lorde sombrio superava o heróico Obi-Wan Kenobi. "Todos têm um lado sombrio", acredita o estudante Ivan Chrypko, 24.
Encenações de lutas, poses para fotos e diálogos surreais ("Cuide bem do meu filho", disse um dos Darth Vader a uma das princesa Amidala, que procurava sua poltrona) animaram a espera pelo início das sessões e deram o clima de final de campeonato. Uma das personagens que se destacava era a fisioterapeuta Kiyomi Abe, 46, caracterizada como Yoda, com o rosto pintado de verde. No Metrô Santa Cruz dois fãs-clubes se encontraram: o 501st Legion - Divisão Brasil e o Conselho Jedi SP, que reservou duas salas.

Houve espaço para manifestações inusitadas. O publicitário Rogério Rocha, 26, disse que sentia medo em relação ao filme: "Os dois anteriores não eram tão bons assim". Primeiro de uma das filas, ele criou dois cartazes com caracteres da saga: "The Last Hope" [a última esperança] e "Revolt of the Fans" [revolta dos fãs].

"Star Wars" também une famílias. Cristina Francisco, 53, segue uma tradição: levou seu sobrinho para assistir, nos anos 80, aos filmes da série; no "Episódio 3", foi com a sobrinha Cristiane, 14. Já a estudante Juliana Penteado, 16, arrastou os pais de Jundiaí (60 km de SP) para o filme. A noite teve ainda outros vilões. O advogado Pedro Amaral, 27, último na fila, blasfemava: "[O atraso] foi culpa do trânsito".
Nos EUA, o filme estreou em 3.700 salas, o maior lançamento da série. Os ingressos estavam esgotados. Analistas prevêem US$ 110 milhões (cerca de R$ 270 milhões) na primeira semana.
LEIA MAIS sobre "Star Wars: Episódio 3 - A Vingança dos Sith" na Folha Online (www.folha.com.br/051382)

Presente de Natal para a Microsoft

Original aqui.

terça-feira, 20 de dezembro de 2005

Recordar é viver

Resolvi rever os posts de 2005. Gostaria de agradecer a todos que leram e deixaram seus comentários, me incentivando a escrever mais e mais. Quantas coisas aconteceram em cinco meses...

Resolvi também eliminar o sistema de comentários do HaloScan. Estarei usando o sistema do Blogger daqui por diante. Para manter o arquivo em ordem, resolvi transcrever todos os comentários no sistema novo.

Agora ele travou... Não aceita mais nenhum comentário! Espero que seja temporário, afinal inclui mais de 30 comentários em menos de meia hora. Eu e minha mania de arrumação...

domingo, 18 de dezembro de 2005

Merry Xmas!

Depois de um grande sumiço, muitas novidades:

King Kong Simplesmente fantástico! Peter Jackson está se tornando definitivamente o "diretor-dos-filmes-de-três-horas". Mas como os filmes de "O Senhor dos Anéis", ele é um passeio de montanha russa de três horas. O macaco digital gigante consegue passar emoções como um cachorrinho solitário procurando um dono para brincar. As mulheres gostaram muito. Ouvi algumas saindo do cinema dizendo: "quero um King Kong para mim". Impossível não se emocionar ou se divertir.

Presentes para 2006:

Código DaVinci O trailer já está disponível. Ron Howard dirigindo Tom Hanks, Sir Ian McKellen, Jean Reno, Andrey Tautou e Alfred Molina. Sucesso na certa.

Superman Returns Brian Singer abriu mão da direção do novo X-Men para dirigir o retorno do homem-de-aço. Trailer também disponível.

Carros Última parceria da Pixar com a Disney. Novo trailer acabou de sair. Antes dele, estava sendo difícil imaginar um filme de sucesso sobre carros animados. Consegui reconhecer a voz de George Carlin, um dos meus comediantes favoritos, fazendo o papel de uma Kombi ex-hippie. Agora parece fazer tanto sentido quanto um filme sobre peixes ou formigas.

X3 Como já havia dito, o novo diretor, Brett Ratner (A Hora do Rush 1,2 e Dragão Vermelho) tem uma grande responsabilidade de manter o padrão de excelência estabelecido pelo Brian Singer. Pelo novo teaser, acho que vai conseguir.

Munique Spielberg novamente toca nas suas raizes judaicas neste seu novo filme sobre a batalha entre judeus e palestinos. O australiano Eric Bana e o francês Matthieu Kassovitz encabeçam o elenco miscigenado como assassinos judeus planejando um atentado contra o grupo palestino responsável pela morte de atletas judeus nas olímpiadas de Munique.

The Fountain Em 1000 anos de história, três narrativas paralelas contam o relacionamento de Hugh Jackman e Rachel Weisz. O aclamado cineasta Darren Aronofsky, de π (pi) e Requiem para um Sonho, volta para impressionar as platéias mais uma vez.

Confetti Falso documentário inglês, nas linhas de The Office, mostra o dia-a-dia de três casais e seus preparativos de casamento para o concurso de uma revista matrimonial. A diretora Debbie Isitt criou um storyline e deu total liberdade para os casais de atores improvisarem.

Hostel Fans de Jogos Mortais praparem-se! Imagine um local onde pode-se alugar o espaço e as ferramentas para punir, torturar ou até matar as pessoas que você mais odeia no mundo. Uma produção de Quentin Tarantino baseada em fatos reais. Creepy.

Zathura Jumanji no espaço sideral. De repente, volto a ter 16 anos.

Posseidon Uma onda gigante vira um trans-atlantico de ponta-cabeça durante as comemorações de ano novo nesta refilmagem do clássico-catástrofe O Destino do Posseidon. Com os sumidos Kurt Russell e Richard Dreyfuss. O Leslie Nielsen não participa desta versão. :-)

E finalmente:

Silent Hill Depois de muitas especulações e boatos, a estréia já está confirmada para o transposição ao cinema do meu jogo de terror favorito. Se contarmos com a capacidade da equipe, promete ser um sucesso. Roteiro de Roger Avery, colaborador de longa data de Quentin Tarantino e diretor de Regras da Atração. Direção de Christophe Gans, o visionário por tráz de O Pacto dos Lobos. O que é mais importante, ambos são fanáticos pelo jogo. A Sony Pictures colocou até um concurso para criação do poster oficial. O trailer oficial ainda não está disponível, mas pelas imagens disponibilizadas no site, me parece que conseguiram recriar o feeling geral do jogo, um desafio por sí só. Me parece também que contrataram o compositor e desenhista de som do jogo, Akira Yamaoka, responsável por 50% do sucesso dos jogos.
A história é levemente baseada na principal trama da série. O espectador nem os protagonistas sabem se a cidade de Silent Hill e seus moradores enigmáticos e aterradores são reais ou produtos das profundesas obscuras dos seus subconcientes. O jogo em sí é baseado nos trabalhos de David Lynch e de outros cineastas com gostos pelo bizarro e pelo enigmático. Não vejo a hora... principalmente porque não tive coragem de terminar o último jogo.

Todos os trailers podem ser vistos aqui.

Boas festas e boas renovações. Vejo vocês no cinema.

terça-feira, 29 de novembro de 2005

O Pulso ainda pulsa

Confirmadíssimo. De acordo com a Amazon.com, dia 17 de janeiro de 2006 marca o lançamento do tão esperado DVD Pulse do Pink Floyd, dez anos depois.

O site oficial da banda não menciona nada mas o que pude extrair da tão confusa pagina da Amazon é que ele será duplo, como o CD, e recheado de extras distribuidos entre os discos. Visões exclusivas do filmes projetados no telão redondo (® Pink Floyd) e uma versão de Wish You Were Here com Billy Corgan são algumas das surpresas.

Ainda bem que não abandonei minhas High Hopes.

terça-feira, 22 de novembro de 2005

PSP-ing

Seria essa a nova maneira de tirar cochilo depois de um almoço pesado? Posição de concentração? Alguma maneira de não ser achado?

Na verdade, essas duas pessoas estão jogando PSP, console portátil da Sony. Elas também serviram de inspiração para um grupo de alunos do Royal College of Art de Londres.

Eles notaram duas pessoas cobrindo seus rostos com seus casacos num final de tarde para poderem apriveitar melhor sua partida. Apesar de não terem com se ver, elas não deixavam de se xingar e interagir verbalmente. Também notaram que grupos de jogadores se colocavam em posições de estátua, sentadas, apoiadas ou deitadas. Os alunos então resolveram criar móveis que sirvam de casulo para acomodar jogadores inveterados, dando-lhes conforto, isolamento e aproveitarem sua partida ocasional. Os casulos chegam a se assemelhar aos gráficos poligonais encontrados nos primeiros jogos da plataforma, em meados da década de 90.

quinta-feira, 17 de novembro de 2005

O incrível laptop de U$ 100,00

Não. Ele não é um Apple. Mas também não deixa de ser incrível.

Desenvolvido pelo MIT, seu objetivo é servir as populações de países pobles ou em desenvolvimento. Foi recentemente apresentado numa conferência da ONU, onde o Brasil mostrou-se interessado.

Roda com arquitetura AMD e sistema operacional Linux da Red Hat. Para os curiosos, a manivela serve para gerar energia ao equipamento em locais onde não existe fornecimento de energia elétrica.

A Apple até chegou a oferecer o seu MacOS X de graça para todas as máquinas, mas os desenvolvedores declinaram por não ser uma aquitetura open-source.

Calma Steve, uma coisa de cada vez.

segunda-feira, 7 de novembro de 2005

"Will Work For Food"

Ouch!

O BitTorrent também é usado lícitamente. A Valve, criadora do Half Life, usa o aplicativo para distribuir digitalmente cópias vendidas dos seus jogos. A sua melhor funcionalidade é diminuir o tráfego direto aos servidores da empresa, o qual é tarifado por volume de consumo. Algo inédito no mercado de P2P. Original aqui.

Estão sendo estudadas aplicações do BitTorrent para distribuição de conteúdo digital de grande volume que não tem restrições pela lei do direito autoral, como PodCasts.

Mais buracos no queijo suisso?

Eles compraram um aplicativo do desenvolvedor do AudioGalaxy. Não testei nem li mais sobre o aplicativo, mas ao meu ver, não me parece um procedimento seguro, independente da plataforma. Ainda confio mais em um LimeWire ou BitTorrent. Leia a matéria integral do estadão.com aqui.

terça-feira, 25 de outubro de 2005

Projeto para uma nova gramática

Fico uma semana sem postar e ainda não escrevo nada de original... A verdade é que não consegui me conter. Esse post é muito bom. Não conheço a autora, mas visitem o blog dela.
4.9.05

Eis aqui um programa de cinco anos para resolver o problema da falta de autoconfiança do brasileiro na sua capacidade gramatical e ortográfica. Em vez de melhorar o ensino, vamos facilitar as coisas, afinal, o português é difícil demais mesmo. Para não assustar os poucos que sabem escrever, nem deixar mais confusos os que ainda tentam acertar, faremos tudo de forma gradual.

No primeiro ano, o “Ç” vai substituir o “S” e o “C” sibilantes, e o “Z” o “S” suave. Peçoas que açeçam a internet com freqüênçia vão adorar, prinçipalmente os adoleçentes. O “C” duro e o “QU” em que o “U” não é pronunçiado çerão trokados pelo “K”, já ke o çom é ekivalente. Iço deve akabar kom a konfuzão, e os teklados de komputador terão uma tekla a menos, olha çó ke koiza prátika e ekonômika.

Haverá um aumento do entuziasmo por parte do públiko no çegundo ano, kuando o problemátiko “H” mudo e todos os acentos, inkluzive o til, seraum eliminados. O “CH” çera çimplifikado para “X” e o “LH” pra “LI” ke da no mesmo e e mais façil. Iço fara kom ke palavras como “onra” fikem 20% mais kurtas e akabara kom o problema de çaber komo çe eskreve xuxu, xa e xatiçe. Da mesma forma, o “G” ço çera uzado kuando o çom for komo em “gordo”, e çem o “U” porke naum çera preçizo, ja ke kuando o çom for igual ao de "G" em “tigela”, uza-çe o “J” pra façilitar ainda mais a vida da jente.

No terçeiro ano, a açeitaçaum publika da nova ortografia devera atinjir o estajio em ke mudanças mais komplikadas serão poçiveis. O governo vai enkorajar a remoçaum de letras dobradas que alem de desneçeçarias çempre foraum um problema terivel para as peçoas, que akabam fikando kom teror de soletrar. Alem diço, todos konkordaum ke os çinais de pontuaçaum komo virgulas dois pontos aspas e traveçaum tambem çaum difíçeis de uzar e preçizam kair e olia falando çerio já vaum tarde.

No kuarto ano todas as peçoas já çeraum reçeptivas a koizas komo a eliminaçaum do plural nos adjetivo e nos substantivo e a unificaçaum do U nas palavra toda ke termina kom L como fuziu xakau ou kriminau ja ke afinau a jente fala tudo iguau e açim fika mais faciu. Os karioka talvez naum gostem de akabar com os plurau porke eles gosta de eskrever xxx nos finau das palavra mas vaum akabar entendendo. Os paulista vaum adorar. Os goiano vaum kerer aproveitar pra akabar com o D nos jerundio mas ai tambem ja e eskuliambaçaum.

No kinto ano akaba a ipokrizia de çe kolokar R no finau dakelas palavra no infinitivo ja ke ningem fala mesmo e tambem U ou I no meio das palavra ke ningem pronunçia komo por exemplo roba toca e enjenhero e de uzar O ou E em palavra ke todo mundo pronunçia como U ou I, i ai im vez di çi iskreve pur ezemplu kem ker falar kom ele vamu iskreve kem ke fala kum eli ki e muito milio çertu ? os çinau di interogaçaum i di isklamaçaum kontinuam pra jente çabe kuandu algem ta fazendu uma pergunta ou ta isclamandu ou gritandu kom a jenti e o pontu pra jenti sabe kuandu a fraze akabo.

Naum vai te mais problema ningem vai te mais eça barera pra çua açençaum çoçiau e çegurança pçikolojika todu mundu vai iskreve sempri çertu i çi intende muitu melio i di forma mais façiu e finaumenti todu mundu no Braziu vai çabe iskreve direitu ate us jornalista us publiçitario us blogeru us adivogado us iskrito i ate us pulitiko i u prezidenti olia ço ki maravilia.

Cyn City

quarta-feira, 19 de outubro de 2005

Nochnoy dozor

Há muitos séculos atrás, os Protetores da Luz e os Guerreiros da Escuridão travaram a sua última e mais sangrenta batalha. Eles decretaram uma trégua e desde então têm vivido uma guerra fria onde os Protetores da Luz habitam o dia e são vigiados pelos Guerreiros da Escuridão, e vice-versa.

"Isso me parece muito familiar", você deve estar pensando. Também indaguei isso. Forças do bem contra forças do mal ... blá, blá, blá. Provavelmente, alguns vampiros ou lobisomens devem estar envolvidos. Pois é, pensei tudo isso até descobrir que se tratava de uma trilogia de quadrinhos que recentemente foi levada ao cinema ... por russos!

Night Watch (ou no seu título original, Nochnoy dozor) chegará finalmente às telas brasileiras no dia 18 de novembro com o título Guardiões da Noite. O filme, produzido inteiramente na Rússia, foi lançado ano passado e só agora chega ao mercado internacional. Assisti o primeiro trailer no site da Apple em 2003. Fiquei boquiaberto com as imagens. Desde então tenho caçado ele nos sites de P2P e recentemente consegui baixá-lo por completo. Mas só assisti metade. Depois de saber que ele poderá ser visto na tela grande, desistí de vê-lo.

Carregado de influências de outros filmes do gênero como Underworld e Van Helsing, Guardiões da Noite traz referências de outros gêneros e diretores como Alex Proyas (O Corvo, Dark City), Francis Lawrence (Constantine) e dos Irmãos Warchowsky (Matrix, Bound). Mas se formos colocar na ponta do lápis, ele é tão original quanto, pois alguns desses filmes foram produzidos na mesma época. Para começar, a direção de arte e a fotografia são estranhamente mais coloridas e claras do que seus contemporâneos, criando uma atmosfera inédita para filmes do gênero.

O filme é a terceira produção do diretor/co-roteirista Timur Bekmambetov que é considerado o líder em direção de vídeos pop e de propaganda da Rússia. Ele já está concluindo a pós-produção da continuação (Day Watch) e está em pré-produção para o terceiro.

Vamos aguardar...

sexta-feira, 14 de outubro de 2005

Pamonha, pamonha, pamonha...

Estou arrumando minha casa e achei várias coisas que não quero mais. Resolvi colocar no Mercado Livre. Em menos de um dia recebi lançes. Incrível como nossas tranqueiras tem valor para outras pessoas.

Quem se interessar pode dar seus lances aqui. :-)

quinta-feira, 13 de outubro de 2005

He IS Rael!

Quase uma semana se passou e eu ainda não tinha escrito nada sobre o show do Musical Box.

A banda canadense me surpreendeu. O conceito do trabalho deles é reproduzir com mais detalhes possíveis os shows do Genesis de 1971 a 1975, época em que Peter Gabriel se maquiava, voava no palco, se travestia de raposa ... tudo em nome da arte. Na turne de 1974-1975, The Lamb Lies Down On Broadway, o cuidado com os detalhes foi impecável. O album duplo conta a história de Rael, arruaceiro de Nova York que se perde em um caos surreal depois que uma gigatesca nuvem de lã (?) desce sobre Manhatan. Mas como não existem registros oficiais da tourne de 1975 em video, o Musical Box entrou em contato com os integrantes originais e técnicos da época para buscar detalhes. Desde o posicionamento dos integrantes da banda no palco até os slides projetados ao fundo, tudo foi reproduzido com precisão. Eles são a única banda no mundo autorizada pelos integrantes originais à executar oficialmente o show.

O resultado é surpreendente. A começar que a voz do vocalista Denis Gagné é idêntica à de Peter Gabriel. Sua postura no palco também é. Os outros integrantes também fazem performances carbonadas. Incrível! A parte técnica é revolucionária, mesmo para padrões atuais. Três projetores independentes lançam imagens estáticas que complementam a trama da trajetória de Rael. As imagens foram produzidas exclusivamente para o show, muitas delas se utilizando de fusões óticas para gerar as paisagens surreais da Manhatan paralela. Luzes verdes, vermelhas e azuis se mesclam sobre os integrantes da banda criando infinitas variações de cores. Como qualquer espetáculo cênico, há trocas de figurino do vocalista que interpreta o papel de Rael. O cilindro de pano, mostrado na imagem acima, representa a Lamia, criatura meio mulher, meio serpente que seduz o personegem, mas que depois é comida por ele.

Para falar a verdade, a história é tão confusa que até hoje não entendi. Mas isso não tira nenhuma qualidade do espetáculo. Tinham muitos fans por lá. Pude notar pelo coro que se formou ao chegar no refrão da música Carpet Crawlers. Verdadeiramente memorável. O show contou também com duas músicas no biz: The Musical Box e Watcher Of The Skies. Figurino incluído.

----
Quase não consegui chegar a tempo. A Heitor Penteado estava em reformas. Tive que cortar por dentro, cai na Pompéia e peguei a Coriolano, estacionando na saída dos fundos do Olympia. Quinze minutos atrazado, cheguei ofegante até descobrir que o show estava mais atrasado que eu. Começou 40 minutos depois. Liguei para o Adriano, meu amigo fan que iria no mesmo dia. Ele estava sentado no balcão, mais longe do palco. Na minha mesa não tinha mais ninguem, portanto chamei ele para sentar comigo. No final, aguardei os integrantes sairem e peguei autógrafos. O guitarrista, François Gagnon, achou estranho eu pedir para ele autografar o album original do Genesis. "Você deveria pegar nosso autógrafo no programa do show que estava sendo vendido no lobby." Estava sem dinheiro. "Pardon." As chances de pegar os autógrafos dos integrantes originais são praticamente nulas. But it's close enough.

Ó inverno do nosso descontentamento foi convertido agora em glorioso verão por este sol de Cupertino...


Como numa peça de Shakespeare, a Apple muda mais uma vez o rumo da história da informática numa apresentação memorável, separada em três atos.

Ato I - O Novo iMac

A Apple não tem pressa em lançar novos produtos. Especialmente quando eles apresentam novos conceitos e padrões de uso. Enquanto as outras empresas correm atrás de seus próprios rabos, a Apple está pesquisando, pesquisando e pesquisando.

Eles resolvem então transformar o novo iMac num Media Center ... Apple style. Incluiram uma câmera de vídeo para video conferência, deixam mais fino, padronizam Superdrive (gravador de DVD) e um controle remoto ... com 6 botões. Design similar ao iPod Shuffle mas acrescentando um botão Menu. Mais simples impossível.

Pressionando a tecla Menu, o seu desktop lentamente vai se distanciando e sumindo para abrir espaço a uma interface com quatro icones: Música, Fotos, Filmes e DVD (sombras, reflexos e efeitos de escala já incluídos graças ao CoreImage). Ao selecionar uma das opções, a interface apresenta um menu similar ao do iPod, onde pode-se acessar rapidamente todas as suas bibliotecas digitais, visualizando-as na tela do iMac ou numa TV.

Não existe nenhuma versão específica do Sistema Operacional para fazer isso, como o Windows XP Media Center Edition. Tudo acontece graças a um único aplicativo inédito, o Front Row, que gera a interface simplificada de acesso pelo controle remoto. Todo o resto já existe no MacOS Tiger que é distribuído atualmente. Com este grau de otimização, no futuro existe a possibilidade de todas as máquinas da Apple serem Media Centers.

Ato II - O novo iPod

"Sim, ele toca vídeo." Alem de fotos, música, jogos, calendário, agenda, relógio mundial... Também está mais fino, mais leve, tem mais espaço, mais autonomia e uma tela maior. De 2,5" com 320 x 240 pixels para ser mais exato. Altíssima densidade. Tem um processador que decodifica arquivos em MPEG4 e H.264 (novo padrão da indústria) à 30 quadros por segundo. Assita no metrô, no carro, na sala de espera do dentista. Ou ligue na TV (cabo não incluído, claro) e você já se tornou um VJ na festa do seu amigo.

O novo iPod e o iPod nano irão garantir um fim de ano muito próspero para a Apple ($ka-ching$).

Ato III - A nova iTunes Music Store

O 3º ato de uma peça existe para justificar a existência dos dois primeiros. Ou será ao contrário? Enfim... cinco semanas depois de lançar a versão 5, a Apple lança a versão 6 do iTunes. Com tantos novos produtos, a atualização se fez necessária, se não imprescindível. Mas não é qualquer atualização.

Nesta mesma época no ano passado, ao presentar o iPod Photo, Jobs disse que seus concorrentes estavam dando tiros no escuro, lançando aparelhos que tocam vídeo, caros demais e grandes demais para caberem no bolso. E ainda perguntou: "onde está o conteúdo para colocar nestes aparelhos". Não são todas as pessoas que querem, ou têm a paciência baixar videos ilegalmente da internet, converte-los para um formato compatível durante a noite e ainda copiá-los para o aparelhinho. Ufa!

A Apple já tem a melhor infraestrutura para distribuição de músicas pela internet. Bastou apertar alguns botões, assinar alguns contratos ... presto! Mas não são qualquer contratos. Agora é possível comprar videoclips, curtas de animação da Pixar e programas de TV por US$ 1,99. Mas não são qualquer programas. Que tal Desperate Housewives e Lost? Um dia depois deles irem para o ar. Ainda não está bom? Que tal a primeira temporada inteira?

Pois é, a Apple fecha um contrato com a ABC, emissora das duas séries de maior sucesso dos EUA, e cria um mais um marco na história da informática. A apresentação contou até com a presença de Bob Eiger, presidente da Disney, que é dona da ABC.

Lógico que tudo isso só está disponível para residentes de países onde a Music Store está operando atualmente. Nós, latino-americanos, ainda ficamos na mão. Por enquanto, vou usar o novo iTunes para organizar minha extensa biblioteca de clips e comerciais da Apple.

Bis - "It's all about the music."

Para encerrar com chave de ouro, o trompetista Winton Marsalis e sua banda deram uma canja com um jam fabuloso de 15 minutos.

Assistam a apresentação aqui. Ou pule para 1:05:15 e assita o jam de Winton.

segunda-feira, 10 de outubro de 2005

iPod Video, at last? 2

Consegui a imagem do convite para o evento da Apple desta quarta-feira. Pelo layout do convite e a escolha do local, parece inevitável o lançamento do iPod Video. Especula-se que o aparelhinho terá espessura menor que o iPod 60Gb, mas terá uma tela maior, capacidade superior ou igual a 80 Gb e cor diferenciada, seguindo o sucesso do iPod nano preto. Vamos aguradar para conferir...

----
A frase "One more thing..." faz referência ao bordão usado por Steve Jobs no final de todas as suas palestras, quando geralmente deixa para anunciar o produto mais aguardado do dia.

sexta-feira, 7 de outubro de 2005

Flickr

This is a test post from flickr, a fancy photo sharing thing.

Nós ♥ Katamari


Sábado passado, a Dani e eu passamos mais de seis horas jogando We ♥ Katamari no PS2 e descobrimos que nós também ♥ o bendito jogo.

Ele é a continuação de Katamari Damaci que foi lançado em 2003 e foi um sucesso estrondoso no mundo tudo. O conceito dele é, ao mesmo tempo, estranhamente surreal e absurdamente fácil de compreender:

O Rei de Todo o Cosmos, um ser gigantesco do tamanho da Via Láctea num ataque de felicidade, derrubou todas os astros do céu, inclusive a Lua. Agora ele passou o trabalho de colocar todos eles de volta para seu filho, o Príncipe, com 5 cm de altura.

Para isso, ele deve juntar o maior número de objetos na Terra e entrega-los para o Rei, para que ele possa lançar aos céus e criar novos astros. Você comanda o Principe, que usa de uma Katamari para coletar os objetos. Basicamente, a Katamari é uma bola de chiclete que deve ser rolada, rolada e rolada para todos os cantos, coletando tudo o que aparece pela frente: lápis, borrachas, clips, folhas de papel, pilhas, frutas, alimentos de todos os tipos, insetos, pequenos mamíferos, aves, plantas, carros, pessoas, prédios ... tudo. Nas fases mais avançadas, você chega a rolar ilhas, nuvens e continentes inteiros (!).

Parece fácil? But there is a catch: só se pode rolar objetos menores que a Katamari.

A direção de arte do jogo é maravilhosa. Para poder carregar fases enormes, o jogo precisou abrir mão da complexidade gráfica dos objetos. A maioria deles não tem mais que 10 polígonos. Mas isso não tira nem um pouco do charme do jogo. A jogabilidade é tão simples que qualquer um que nunca colocou as mãos no controle do PS2 começa a ficar craque em menos de 10 minutos. Tudo é feito pelos dois controles analógicos, nenhum botão é usado. Totally adictive! Tudo isso servido por músicas hilárias cantadas em japonês.

Consegui pôr as mãos no primeiro jogo há uns três meses. Acabei em menos de cinco horas. Ele tem por volta de 20 fases. Mas não fui o único a gritar por mais. A Namco lançou o segundo e colocou "mais do mesmo" com muita diversidade.

No universo de We ♥ Katamari, aparentemente somente um raio de alguns milhares de qilômetros está povoado por astros, ainda est"ao faltando todos os outros planetas do sistema solar. Por isso, todo o mundo pediu ao Cosmos por mais diversão. O Rei acabou ficando tão "inflado" de elogios que não dá mais atenção a ninguem. Ele mandou o Principe de volta para a Terra, tratar com os despresíveis pedidos dos terráqueos. E criatividade começa no menu principal: um tela 2D apresenta o ambiente da Terra. Você controla o Príncipe que aborda cada um dos terráqueos que vão aparecendo aos poucos. Eles trazem pedidos ao Rei, que os serve magnanimamente com fases muito divertidas. Mas só depois de muita bajulação por parte dos terráqueos. Não parávamos de dar risada.

Minha teoria de que qualidade gráfica não se compara a criatividade é mais uma vez provada. Se você não tem um PS2, compre um já e jogue We ♥ Katamari. Se você já tem um, o que está esperando?

Na, naaaaaa, na, na, na, na, na, na, na. Na, naa, na, na, na, na.

Eu escuto. Tu escutas. Nós escutamos.


A fase de emprestar CD's já era! Agora, com a Last.fm, você consegue escutar as músicas preferidas do seu amigo e conhecer novas.
Criado com base na formula Orkut de sucesso, o site funciona como um banco de dados dinâmico, adicionando no seu perfil todas as músicas que você escuta no seu MP3 player, podendo assim sugerir novas músicas baseado no seu gosto pessoal. Basta instalar um plug-in compatível com Mac, Windows, Linux e Amiga (!!).
Como no Orkut, também existem grupos. O sistema então sugere músicas que outros membros estejam escutando, aumentando as chances de conhecer pessoas que tem os mesmos gostos, ou músicas que você pode gostar também. Com o Last.fm Player (foto acima), é possível escutar todas essas músicas baixadas em streaming de altíssima qualidade (128 kbps!), com direito a imagem de capa e tudo.
O site também gera estatísticas interessantes: na semana do dia 2/10, Colplay foi a banda mais ouvida: 166.444 vezes por 22.111 usuários diferentes. Seu maior fan, já escutou suas músicas 7.022 vezes. Mas a música mais ouvida foi Such Great Hights, do The Postal Service, 11.408 vezes por 5.513 usuários. Seu maior fan a escutou 478 vezes!
Talvez por essas razões que o site recebe este nome. Você nunca mais vai querer escutar rádio convencional novamente.

quarta-feira, 5 de outubro de 2005

iPod Video, at last?

A Apple acaba de mandar um convite para um evento especial que irá ocorrer no dia 12 de outubro. Especulações indicam que será o lançamento do iPod Video.

Sigur Rōs : Glōsōli

Belíssima fotografia, figurino primoroso. Mais uma obra prima de uma das minhas bandas favoritas. Os islandeses do Sigur Rōs estão sempre se superando. Parece que as narrativas sempre tratam da inocência infantil, desta vez permeada pelas incríveis paisagens de solos vulcânicos de sua terra natal. Ainda vou visitá-las.

terça-feira, 4 de outubro de 2005

Contexto é tudo

Seria possível transformar o maior blockbuster do mundo em um filme de terror cheio de cliches? Que tal o filme mais assustador da história numa comédia dramática com tom familiar?

sexta-feira, 30 de setembro de 2005

Eidos

Use soap

"We are the middle children of history, with no purpose or place. We have no great war, or great depression. The great war is a spiritual war. The great depression is our lives. We were raised by television to believe that we'd be millionaires and movie gods and rock stars -- but we won't. And we're learning that fact. And we're very, very pissed-off."

Tyler Durden

quinta-feira, 29 de setembro de 2005

Escolha seu inferno

O primeiro comentário que recebi do meu amigo Paulo sobre meu último post foi: "você sabia que a Telefonica é muito maior que a Globo?"

Na realidade, não sabia. O meu problema não é contra grandes corporações. Ele é pessoal contra a Globo. Desde que era pequeno nunca gostei da Globo pois eles nunca colocavam a abertura original das séries americanas. Sempre era aquela coisa "Rede Globo apresenta..." e cortavam os créditos. Isso me irritava muito. Dá a impressão que a produção da série é da Globo. Não gosto disso. Outras redes, especialmente a Record, sempre colocava a abertura original.

Depois que assisti o documentário "Muito Além do Cidadão Kane", cristalizei minha opinião. Eu odeio a Globo.

O mundo, na verdade, é controlado por grandes corporações. Cada vez mais, grandes empresas se fundem gerando empresas ainda maiores. E isso acontece em todos os níveis do mercado mundial, especialmente no mercado de bens de consumo básicos, como combustível, alimentos e telecomunicações. Isso diminui nossas opções e aumenta a capacidade dessas empresas de monopolizar o mercado.

No final, temos que escolher para qual inferno iremos vender nossas almas. Não esqueçam de levar seus frascos de água benta.

A salvação está a 15 ligações, cinco atendentes trolhos, 96 minutos de espera e um click de distância

Post re-editado por causa de problemas na geração do código da página.
---

103

Bem vindo à Telefonica. Tecle os dois primeios números do DDD e o número do telefone ao qual deseja solicitar serviços. Se ainda não é assinante dig...

xxxxxxxxxx [telefone real omitido por razões obvias]

...Para solicitar Speedy, digite 5...

5

Boa tarde, meu nome é XXXXX. Em que posso ajudar?

Gostaria de solicitar o Speedy.

Pois não, qual o número do telefone?

...11 xxxx-xxxx.

São Paulo?

... Sim.

Um momento, por favor.

[um momento depois]

Qual a velocidade o senhor gostaria?

500.

Pois não. O senhor já pussui modem?

Sim.

Onde o senhor conseguiu o modem?

Eu comprei. Já tenho ele há muito tempo.

O senhor não lembra onde comprou?

... Não. Tenho ele há muito tempo.

Ok. [detalhes de cadastro e valores são passados] Ok, senhor. Em 72 horas o sinal será liberado na sua linha. Estarei encaminhando o senhor para nossa Central de Qualidade para que alguns dados sejam confirmados, ok?

Ok.

Boa tarde.

Boa tarde.

[o telefone fica mudo. neste momento morro de medo da linha cair, pois isso geralmente acontece]

Senhor Rogério?

Sim?

Meu nome é xxxxxx. Sou da Central de Qualidade, vou confirmar alguns dados com o senhor. O senhor está solicitando o Speedy 500 e já tem o modem, correto?

Sim.

E o senhor não lembra aonde comprou?

Não.

Ok. Que versão de Windows o senhor tem na sua máquina?

Uso Macintosh. MacOS 10.3.

... Macintosh?... Uh ... Hum .... Certo...

[escuto uma digitação frenética no outro lado da linha]

O senhor tem o MacOS 8... com 32 de RAM e placa é... é... ethernet?

Sim. Uso o OS 10.

Ah, sim. É superior. ... Ok... Então em 72 horas o sinal estará sendo liberado em sua linha.

Ok. Muito obrigado.

[72 horas e passam e nada do sinal]

103

Bem vindo à Telefonica. Tecl...

xxxxxxxxxx

[o telefone fica mudo]

...

[continua mudo]

Caralho! [desligo]

103

Bem vind...

xxxxxxxxxx

... para soli...

5

Boa dia, meu nome é XXXXX. Em que posso ajudar?

Bom dia. Eu solicitei Speedy e já se passaram 72 horas e o sinal ainda não foi liberado.

Só um momento, que vou fazer uma verificação.

[um momento se passa]

Senhor, aparentemente existe uma limitação técnica na sua região, portanto sua linha só comporta o Speedy 250. A Telefonica tem previsão de até setembro de 2007 solucionar o problema.

Mas se o problema é tão grave assim, porque o primeiro atendente não me avisou dessa limitação.

...

Pode cancelar então. Eu estou interessado no 500.

Pois não, senhor.

Mais uma vez, fiquei absurdamente puto com a Telefonica. Tentei achar outras opções. Como meu prédio já tem cabeamento da NET, solicitei um pacote "tv a cabo" + Virtua (o sistema deles). Ao mesmo tempo que estava interessado em testar um novo serviço, fiquei decepcionado por ter que vender minha alma ao império Globo de telecomunicações.

O instalador da NET veio duas vezes num período de 7 dias e não conseguiu fazer a instalação pois a tubulação do apartamento é cheia de problemas.

Esse lançe da limitação técnica da Telefonica me deixou muito encafifado. Resolvi ligar novamente.


103

B...

xxxxxxxxxx

Você está no atendimento para clientes Speedy. Boa tarde.

[what the fuck?]

Para suporte técnico, digite 3.

3

Boa tarde, meu nome é XXXXX. Em que posso ajudar?

Me foi informado que minha linha não suporta o Speedy 500 por limitações técnicas. Gostaria de confirmar se esta informação procede.

Pois não, qual o número do telefone?

... [sigh] Eu já digitei no sistema, mas vou repitir: 11 xxxx-xxxx.

São Paulo?

... [sigh] sim ...

Um momento, por favor.

[um momento depois]

Senhor, consta no meu cadastro que o senhor já é assinante do Speedy 500.

O que acontece é que eu havia solicitado o cancelamento, pois já havíam me informado que o Speedy 500 não estaria disponível na minha região por causa dessa limitação técnica. Essa informação confere?

... Um momento senhor, vou passar para o nosso Setor de Diagnóstico.

... [sigh] ...

[um momento se passa]

Senhor Rogério, meu nome é xxxxx. Sou do setor de Diagnóstico, em que posso ajudá-lo?

Gostaria de confirmar se existem limitações técnicas na minha região para o Speedy 500.

... Não consigo detectar nenhuma limitação técnica. O senhor está recebendo o sinal do Speedy?

[caralho] Um minuto, vou ligar o modem. [O sinal está chegando] Parece que o Speedy não foi cancelado como havia solicitado.

O senhor gostaria de cancelar o Speedy?

NÃO! Vou fazer uns testes de velocidade e entro em contato daqui a pouco.

Ok.

Realmente a piromba está funcionando. Ai, meu deus! Ninguem consegue passar uma informação correta nesta empresa.

Entro em diversos sites de teste de velocidade: Rio, São Paulo, Texas, Los Angeles, Londres. Todos dão o mesmo resultado: 256 kbps.

... [sigh] ... 103

[bla, bla, bla]

Boa noite, meu nome é XXXXX. Em que posso ajudar?

Sou assinante do Speedy 500, mas só estou recebendo o sinal do 250.

Um momento senhor, vou passar para o nosso Setor de Diagnóstico.

[um momento]

Senhor Rogério, meu nome é xxxxx. Sou do setor de Diagnóstico, em que posso ajudá-lo?

Sou assinante do Speedy 500, mas só recebo o sinal do 250.

Ah, sim. Como o senhor sabe isso?

Fiz teste de velocidade em diversos sites.

Quais sites?

[sigh] Sites de provedores.

Quais provedores?

[sigh] Diversos. No mundo todo.

Cite um?

[aaaaahhhhh] Pro exemplo, Interair.

Certo...

Vocês têm algum site de teste da Telefonica. Assim posso fazer o teste e leio o resultado prá você.

Ah, sim. Entre em www.speedyteste.com.br

Ok. [Eu entro. Nada acontece.] Nada está acontecendo. O teste não entra.

... Ah, sim ... Entre então em agá tê tê pê, dois pontos,

... [sigh] ... sim ...

... barra barra ... barra invertida na verdade

... Sim, sim...

www.gratis.com.br

[what the fuck!] Gratis.com.br?!

Isso.

Ok... [entro no site e clico no teste] Deu 253 kbps.

Mas o senhor está recebendo o sinal!

Estou, mas está muito longe de 500, não é?!

... Um momento, por favor...

[sigh] ...

[Escuto clicks e digitações frenéticas do outro lado da linha]

O senhor pode desligar e ligar o modem, por favor.

Ok. [desligo e ligo o modem] 501! Nossa. Foi só você dar um click e já resolveu tudo. Ótimo. Obrigado.

Mais alguma informação?

Não, obrigado, boa noite.

Boa noite.

segunda-feira, 26 de setembro de 2005

Picture this...

¡¿ O Blogger não mais está aceitando inserção de imagens nos posts. Será que acabou o espaço? Qual espaço? Nem sabia que tinha limitação de espaço. Ou será que aconteceu alguma coisa fora do normal?

Mistério!

quarta-feira, 21 de setembro de 2005

Warning: Inbox overload!

Aviso: ausência da internet por um período superior a 7 dias pode causar sobrecarga da Caixa de Entrada.

Obs.: Spams já haviam sido filtrados.

quinta-feira, 15 de setembro de 2005

"I hope that someone gets my..."

Depois de diversos dias sem dar notícias, encontro-me ilhado. Já mudei. Agora sou oficialmente um morador de São Paulo. Mesmo assim estou a quilometros de distância de um ponto de internet para ligar meu querido PowerBook.

Escrevo este post de um PC do escritório da Educine. Estou fazendo um temporário de 3 semanas para ajudar a Daniela (a diretora de arte do filme) a finalizar os preparativos para um Seminário de Direção Audiovisual. Ele contará com a participação de diversos "fodões" do cinema, incluindo Lina Chamie, Walter Webb e Carlos Manga Jr.

Enquanto isso, estou curtindo bastante a casa nova. Parece que o Katrina passou por lá, pela quantidade de caixas espelhadas pela sala. Mas pelo menos, com a ajuda da Carolina e do seu Honda Fit já consegui trazer tudo.

Ufa!
--
Message in a Bottle, The Police

sexta-feira, 9 de setembro de 2005

Salada de abacate com filosofia

Hoje almocei com o Flávio Chan, antigo companheiro de trabalho da Dreamaker, agência onde trabalhei antes de sair do mercado de publicidade em 2002.

Não nos víamos há alguns anos, mas sempre mantivemos contato. Nos encontramos semana passada no McCafé de Alphaville para colocarmos os assuntos em dia. Ele recentemente retornou de uma viagem de 10 meses na Austália.

Ironicamente, ele começou esta semana em uma agência aqui em Alphaville enquanto, semana que vem estarei me mudando para São Paulo. Felizmente, hoje ele me chamou no Messenger para almoçarmos. Se tivesse ficado em casa teria comido arroz integral com ovos fritos. Yum...

Conversamos sobre como a viagem dele foi uma experiência de vida muito importante, algo que pretendo fazer em breve. Conversamos também sobre como não existem regras para planejar a vida, e como esse lançe de "nascer/crescer/reproduzir-se/morrer" não é o mesmo para todas as pessoas. Nossos pais se preocupam muito conosco, querem nos ver felizes. Mas a felicidade é relativa: o que para uma pessoa pode ser o ideal de vida, para outra pode ser a rotina mais enfadonha do mundo.

Outro lançe que não cola é aquela necessidade fantasiosa de que o indivídio só é feliz se tiver muitas posses, muitos bens materiais que podem gerar renda a longo prazo, tanto para ele quanto para sua prole. Pois é ... existe uma linha muito tênue que separa a tranquilidade da escravidão material.

Acho que vou assistir Clube de Luta mais uma vez.

quinta-feira, 8 de setembro de 2005

He's Rael!

A banda cover canadense do Genesis, The Musical Box, fará duas apresentações em SP em outubro no Olympia. Quero muito ir e procuro companhia. O show será uma reprodução idêntica à turnê de 1974 do disco The Lamb Lies Down On Broadway, com direito à fantasias e slides idênticos aos usados em 1974, todos autorizados oficialmente pela banda e pelo Peter Gabriel. O baixista do Genesis, Mike Rutherford, considerou a releitura feita pelo Musical Box MELHOR que o original. Imperdível!

Aguardo respostas o mais breve possível.

THE MUSICAL BOX
07 e 08 de Outubro
HORÁRIO DE ABERTURA DA CASA: 20:30
INíCiO: 22:30
SETOR VIP - R$140,00
CAMAROTE - R$140,00
SETOR A - R$100,00
CAMAROTE A - R$100,00
SETOR B - R$80,00
SETOR C - R$60,00
Censura 14 ANOS

quarta-feira, 7 de setembro de 2005

"And one more thing..."

Mais até do que as novidades da Apple, eu sou apaixonado pelas apresentações. Venho assitindo religiosamente todas elas desde que o Steve Jobs retornou para a Apple em 1998. A maneira como são montadas, os slides sempre com pouquíssimo texto e a oratória do Steve faz com que você simplesmente se apaixone pelos produtos, além de serem uma aula na utilização dos produtos que são apresentados.

Esta não foi diferente. Sacar o iPod nano de dentro do bolso do relógio de sua calça jeans, não foi somente algo espantoso, criando um enfoque sensacional no design do aparelho, mas também um truque de narrativa muito bom. E encerrar com uma performance musical já está se tornando padrão. Quem diria que uma empresa de tecnologia daria uma bola tão dentro com esse lance de integração com música? Eat your heart out Bill!

Recomendo a todos os amantes de tecnologia, música e do bom gosto. Assistam aqui, em altíssima qualidade usando o QuickTime 7 com o fantástico codec H.264, novo padrão da indústria. Se gostou, assista também o lançamento do Mac mini na MacWorld de janeiro aqui e o lançamento da parceria com a Intel na WWDC 2005 aqui.

Oops, we did it again...

Das minhas previsões, acertei 1,5 em 3.

1- A Motorola com a Apple e a Cingular lançam o ROKR. Primeiro celular com integração completa com o iTunes, com capacidade para 100 músicas. Mas nada de design revolucionário, apesar do software ser muito semelhante ao do iPod.

2- Ao invés de um iPod Shuffle novo, é lançado o iPod nano para substituir o iPod mini. Agora além de todos os iPods terem tela colorida com suporte completo à fotos, o mais novo membro da família é o primeiro digital music player do mercado baseado em memória flash com capacidade para 4 Gb (!). A mesma capacidade dos iPod original e do "mini", mas sem peças móveis, permitindo assim ser "vestido" com uma combinação "fone-de-ouvido/colar" genial. Além disso ele é 1/5 o tamanho do iPod original, 1/3 o tamanho do "mini" e menos de 1/3 o tamanho que os maiores competidores de marcas como Sony, iRiver e Creative, com capacidade muito superior.

3- Até agora, nada de iPod Video. Mas em uma das estatísticas apresentadas, foi feita uma comparação de volume de vendas com o Sony PSP. No último trimestre, foram vendidos 2 mi. de unidades do PSP enquanto o iPod vendeu 6 mi. Isso dá algum indício que a Apple está de olho no mercado de players de vídeo. Quem sabe até a MacWorld do ano que vem teremos novidades?

terça-feira, 6 de setembro de 2005

Spam - "¡Viva la independencia!"


Em comemoração à festividades de amanhã, posto estas frases que recebí em um spam.
Estaremos sempre ao lado do governo.
Porque se vamos à frente ele nos fode e se vamos atrás ele nos caga.

Em Brasília, temos os melhores congressistas... que o dinheiro pode comprar.

Basta de realidades, queremos promessas

O país estava à beira do abismo. Com o PT, demos um passo à frente.

Proibido roubar!
O governo não admite concorrência

As putas ao poder!
Porque com os filhos, não nos demos bem.

Este governo é como um biquini,
ninguem sabe como se sustenta porém todos querem que caia.

Sitting, waiting, wishing

Não sou só eu que aguardo o novo lançamento da Apple. Veja a notícia do BlueBus:

Vespera do celular com iTunes, o mundo é uma maça? 08:30 Bom dia. A midia e os fas estao na expectativa de que amanha a Apple finalmente anuncie o aguardado celular com iTunes. Os rumores de que Steve Jobs apresentaria o aparelho nesta 4a aumentaram na semana passada, depois que os jornalistas receberam convite da empresa para 1 evento com o sugestivo texto 'Lá vamos nós de novo', anterior aqui. Há meses se especula quando a Apple daria o passo seguinte em seu movimento de espalhar pelo mundo sua tecnologia e conquistar mais um mercado - apos o sucesso do iPod, a convergência com um celular era vista como inevitável, notas na lista abaixo. O celular com iTunes, em parceria com a Motorola e inicialmente com a operadora Cingular, deverá se chamar Motorola Rokr e deve contar com um elenco de estrelas da musica em sua campanha de lançamento. Madonna, Iggy Pop e outros formam no elenco dos comerciais criados pela BBDO que sairao com slogan How many musicians can you get in a phone booth? (Quantos artistas cabem numa cabine telefonica?). 06/09
--
Sitting, Waiting, Wishing, Jack Johnson

segunda-feira, 5 de setembro de 2005

"When I think I can overcome..."

A maioria dos meus posts são inspirados em filmes ou em músicas, mas não necessariamente tratam sobre eles. Para maior clareza, estarei incluindo no final de cada, um link para a música ou o filme em questão. Quem sabe você também pode se indentificar?
--
Even Deeper, Nine Inch Nails

"And for the first time, I feel loved."

Tive um ótimo final de semana. Sábado e domingo foram os primeiros dias de filmagem do curta Estatísticas no qual participo como 1º Assistente de Direção de Arte, cuidando da cenografia e produção de objetos de cena. Como o filme não tem orçamento, todos os envolvidos não estão ganhando para trabalhar e tudo está sendo feito para o desenvolvimento próprio. Por isso, mas não somente, o sentimento que permeava no set era de muito respeito e profissionalismo, mas ao mesmo tempo descontraído e divertido.

Minhas outras experiências em cinema, foram no mínimo um desastre. Descobri que não era por minha culpa. Neste mercado, algumas pessoas se sentem muito superiores e outras se sentem muito inferiorizadas. Isso gera stress e medo, rompendo as linhas tênues que dividem a descontração da falta de respeito. E isso é insuportável.

Pela primeira vez, senti respeito pelas pessoas e fui respeitado.
Pela primeira vez, senti o profissionalismo e fui muito profissional.
E pela primeira vez, senti o amor das pessoas e fui amado.

*Foto tirada na montagem de um dos sets, uma agência de empregos. A cara de tédio é pura encenação.
--
The First Time, U2.

domingo, 4 de setembro de 2005

"E lá vamos nós..."

Quem diria que a empresa de informática que quase faliu em meados dos anos 90 lideraria o mercado de música digital? Em 2001, a Apple mudou a maneira de como as pessoas escutam música apresentando o primeiro iPod. "1.000 músicas no seu bolso" foi o slogan apresentado no seu lançamento, uma cerimônia exclusiva à jornalistas. Três gerações, cinco outros modelos e quatro anos depois, a Apple está pronta para repetir o feito em outra cerimônia exclusiva para jornalistas que irá ocorrer na próxima quarta-feira, 07/09, 10h00 (horário de São Francisco). A imagem acima é a capa do convite.

Como já haviam declarado na MacWorld em janeiro deste ano, certamente irão apresentar um celular Motorola que conterá uma versão exclusiva do iTunes com acesso à iTunes Music Store. Mas não teriam fechado o auditório do Moscone Center West somente para confirmar algo que já foi anunciado no começo do ano. A pergunta agora é: "o que eles irão inventar desta vez?" Essas são minhas previsões:

· Celular Motorola + iTunes: 100%. Tendo fechado recentemente uma parceria com a operadora Cingular, eles desataram o último nó que dificultava a conexão entre o aparelho e a loja virtual. Exite também a possibilidade dele apresentar um design exclusivo feito pela própria Apple. Eles não colocariam o software deles em qualquer caixinha cinza-grafite de flip.

· iPod Video e iTunes Video Store: 60%. Apesar de já ter declarado no ano passado que equipamentos de vídeo portáteis, como o Creative Zen basedo no Windows Media Center, não eram a resposta por serem muito grandes, de difícil uso e sem maneiras fáceis de acrescentar arquivos de vídeo, a Sony com o PSP provou que é possível desenvolver um produto de qualidade com todas essas funcionalidades, e ainda algo a mais. Parece que recentemente eles negociaram com a MTV a possibilidade de acrescentar uma extensa biblioteca de videoclips à sua loja virtual. Mas a possibilidade de acrescentarem filmes também é grande. Eles já hospedam uma extensa biblioteca de trailers no site do Quicktime. O design seria a verdadeira incógnita.

· iPod Shuffle com tela. 40%. A Apple conseguiu conquistar a única fatia de mercado onde não tinha hegemonia, os players baseados em memoria flash. Mas o aparelhinho já está ficando desatualizado: ele não tem tela, nem sintonizador de FM e possui controles limitados. O Network Walkman da Sony possui uma nova geração de micro telas baseadas na em Eletroluminescência Orgânica (?), o que possibilita mantê-lo com um tamanho muito pequeno, ampliando muito sua funcionalidade. Quem sabe?
--
Famoso episódio do "Pague os 50 centavos" do Pica-Pau.

sábado, 3 de setembro de 2005

"Tried to save myself but myself keeps slipping away."


Depois de passar um dia de super-ansiendade pois amanhã é o primeiro dia de gravação do nosso curta, fui deixar a Diretora de Arte, Daniela, em sua casa no Brooklin. Como ainda era cedo decidimos dar uma passada num barzinho perto dalí. Entre umas e outras, rolaram vários papos sobre quem somos, onde somos e quando somos. Depois da segunda cerveja, não aguentei e filei um cigarro dela. Estava tentando não fazer isso, quero diminuir minha quota semanal de tabaco. Aí comecei me preocupar ... meus pulmões ... minha garganta ... meus dentes. Nosso assunto começou a rodar em torno disso.

Saímos de lá por volta de dez para meia-noite. Me despedí, entrei no carro e peguei a marginal. Continuei pensando nos malditos cigarros, até que me deparei com uma visão apasiguadora: um painel gigante no topo de um prédio dizia em enormes e maravilhosos caracteres vermelhos: 00:00.

Por um segundo, entrei em paz total comigo mesmo, como se o mundo fosse acabar naquele instante. E então pensei: "que bom que matei minha vontade que estava de fumar". Segui o caminho para casa.
--
Into The Void, Nine Inch Nails

sexta-feira, 2 de setembro de 2005

"It's the end of the world as we know it."


Bombas em Londres.

Crise governamental no país.

1000 pessoas pisoteadas e afogadas em Bagdá.

Catástrofe e calamidade total no Mississipi.

Melhor não sair de casa por uns 2 anos.

O celular 286

Quem me conhece sabe que quando resolvo reclamar, reclamo até não poder mais. Portanto, para quem não me conhece, preparem-se, este post vai ser longo. Tão longo que decidi postá-lo em outro lugar para não poluir o layout do Blog.

Resumindo: se o Palm é o Mac de bolso, o Symbian é o Windows de bolso. No 6600, ele é o Windows XP rodando num 286 com um monitor de 3 polegadas e sem mouse.

quinta-feira, 1 de setembro de 2005

Love You Take = Love You Make

Se a Apple é uma empresa que visa lucro como qualquer outra, pelo menos eles fazem o seu trabalho para a humanidade desenvolvendo produtos que valem o dinheiro que os consumidores pagam por ele e desenvolvem a filantropia de uma maneira aberta e razoável.

Colocaram recentemente um link de doação à Cruz Vermelha Americana bem na página inicial da empresa. O link abre uma página da iTunes Music Store onde pode-se fazer doações rapidamente.

Dá até mais vontade comprar produtos deles.

Best of Them

Você tem CD's de coletânia de sua bandas preferidas. DVD's com os melhores momentos do Acústico MTV. Tem até as melhores obras do Picasso num calendário pendurado na porta do banheiro. Porque não ter os clips do seu diretor preferido?

Este mês será lançanda a segunda série de DVD's do Director's Label, com os trabalhos dos mais renomados e influentes diretores da atualidade. Chris Cunningham, Michel Gondry e Spike Jonze tiveram seus DVD's lançados em 2004 (já comprei todos). Agora é a vez de:

Anton Corbijn: Considerado o mais importante fotógrafo da música atual. Fez Heart Shaped Box (Nirvana), Enjoy The Silence (Depeche Mode) e Electrical Storm (U2).

Jonathan Glazer: Fez o controveso Bunny In Your Headlights (U.N.K.L.E. feat. Thom Yorke). Aquele do cara que é atropelado 3 vezes no tunel. Dirigiu também um longa maravilhoso chamado Sexy Beast, com influências de Jogos, Trapaças e 2 Canos Fumegantes e Os Bons Companheiros.

Mark Romanek: (meu favorito) Este tem nada menos que 2 clips em exposição permanente no Museu de Arte Moderna de NY, Closer (Nine Inch Nails) e Bedtime Stories (Madonna). Ele ainda deu o melhor presente que Johnny Cash poderia receber antes de sua morte: Hurt.

Stéphane Sednaoui: Give It Way (Red Hot Chilli Peppers). Need I say more?

Quem se interessar pode comprar o DVD na CDPoint, especializada em importados. É mais rápido e garantido que comprar na Amazon.

quarta-feira, 31 de agosto de 2005

"I've got another confession to make."


Na verdade são duas:
1- Os vocais em uma banda, para mim, são essenciais.
2- Eu geralmente me apaixono por uma música que nunca ouvi na vida se ela estiver acompanhada de um clip animal.

Apesar de não ter nenhuma música deles no meu iTunes, sempre "paguei um pau" para o Foo Fighters. Quem diria que aquele batera cabeludo do Nirvana tocando "Come As You Are" mó mirradinho no Acústico teria esse poder? Depois de ver o clip de Best Of You, fiquei ainda mais impressionado. O diretor Mark Pellington intercalou a performance da banda (incluindo super-closes ótimos do Dave Grohl no microfone) com imagens emocionantes usando filtros e lentes diferentes, criando contraste. Rock visceral e apaixonado "at it's best".

They are REALLY watching you

O Google quer realmente dominar a internet. Depois de acrescentar fotos de satélite dos 4 cantos do mundo no seu serviço de mapas, agora eles atacaram na área de vídeo com o Google Video.

Li uma ocasião um texto que mencionava o problema de catalogar arquivos de vídeo. Parece que o Google achou uma solução simplesmente decodificando os textos de Closed Caption dos programas de TV e incluíndo-os como metadata dos arquivos. Fiz um teste: digitei "nine inch nails" e ele achou primeiro 3 clips da banda, os quais podem ser vistos na íntegra pelo browser, instalando o Google Video Viewer (somente em Win 2000 ou XP, mas funciona bem no Virtual PC do Mac). Os outros hits foram matérias jornalísticas de TV. Clicando no link, o Google mostra algumas imagens do programa com o texto do Closed Caption ao lado. Ele ainda tem a opção de listar quando o programa irá passar novamente de acordo com o seu CEP. GENIAL!

Digitei "phil collins" e encontrei uma piada do Conan O'Brien (apresentador de talk show) onde ele diz que "pelo jeito, o Phil Collins era a pessoa mais bonita presente no casamento do Príncipe Charles. Todos os outros pareciam velas derretidas".

terça-feira, 30 de agosto de 2005

Bem me quer. Mal me quer.

A Vida e a Morte de Peter Sellers não é um filme biográfico comum. Produzido para TV pela BBC e a HBO, ele retrata a enigmática vida de uma das estrelas mais enigmáticas do cinema atual da maneira mais surreal possível. Quando assisti o trailer, achei que Geoffrey Rush não se encaixaria no papel, mas depois de assisir o filme é difícil imaginal qualquer outra pessoa. Geoffrey não tem a voz e, sem maquiagem, pouco se parece com Sellers, mas sua atuação é fenomenal.
Dirigiro pelo novo "cool guy" da TV americana Stephen Hopkins (de Traffic - A Série e 24 Horas), o filme traz uma abordagem surreal à vida do ator, demonstrando claramente seus distúrbios insegurança e falta de personalidade por meio de mecanísmos inéditos (pelo menos para mim) de narrativa. O filme inicia mostrando as origens de Sellers no rádio e sua decolada astrondosa no cinema, após ter roubado a cena de David Niven em A Pantera Cor-de-Rosa, até sua estranha dependência às péssimas continuações da série. Conta com a participação de Emily Watson e Charlize Theron como duas de suas quatro (!) esposas, John Lithgow como Blake Edwards, Stanley Tucci como Stanley Kubrick e o imperdível Stephen Fry como o vidente charlatão Maurice Woodruff, todos de fundamental importância no destino de Sellers.
A Direção de Arte e a Fotografia são um assunto à parte. Quase totalmente filmado com a câmera no ombro (assinatura que Hopkins traz de seus trabalhos), os cenários e figurinos são excepcionais, retratando a Londres dos anos 60 de maneira expetacular por meio de composições em computação gráfica fazendo com que os atores interajam de forma maravilhosa com o cenário. Simplesmente imperdível.

I want MY mtv


Quem diabos escolhe os clips vencedores no Video Music Awards americano? Green Day, com Boulevard Of Broken Dreams ganhando 7 prêmios! O clip não tem absolutamente nada de especial. Passou na frente de Best Of You (Foo Fighters), Speed of Sound (Coldplay), Blue Orchid (White Stripes) e Vertigo (U2) nos prêmios técnicos. Vai entender...

E a escolha mais óbvia para Efeitos Especiais: Feel Good Inc. (Gorillaz)

Como o marketing das gravadoras consegue mágicas nestas premiações, não é? Todos os premiados tem os singles lançados recentemente e isso não pode ser coincidência.

Conseguiram até achar espaço para promover videogames desta vez. Dance Dance Revolution Extreme ganhou Melhor Trilha Sonora Para Videogame. Vê se pode?

Confiram vocês mesmos: mtv.com. A não ser que vocês tenham Mac: "We are sorry. Video Playback is not currently supported on Macintosh." Fuck off!

segunda-feira, 22 de agosto de 2005

"This Film Is On"


Sábado foi um dia realmente agitado.

9h00: Começou com a Carolina separando algumas as coisas dela e a sua irmã passou para ajudá-la a levar para o seu novo apartamento. Almocei dois pastéis na feira e foi correndo para a Oficina Oswald de Andrade, perto do metrô Tiradentes para uma reunião com a equipe de produção do curta-metragem "Estatísticas". Fui parar lá por intermédio da Daniela Castilho, professora do curso de Direção de Arte em Cinema que participei em Julho.

14h20: Não sabia nem do que se tratava o filme. Me apresentei à equipe e logo peguei o roteiro. Gostei bastante. A Dani não apareceu pois estava presa num evento da Educine, ONG na qual trabalha. Acompanhei uma sessão de casting.

18h00: O prédio ia fechar, então continuamos a reunião num boteco (básico). Para minha salvação, a Dani chega. Ela é a Diretora de Arte do filme e eu fiquei oficialmente encarregado como 1º Assistente de Direção de Arte. Todos estão envolvidos pela aventura, ninguem vai ganhar nada. Não tinha sentido tanta adrenalina desde meu primeiro dia no meu primeiro estágio, em 1999. Gostei muito da dinâmica. Apesar de não ter nenhuma experiência prática na área, me senti muito seguro porque sei que tenho conhecimento e capacidade para aprender rapidamente. Foi ótimo. Ví uma luz no fim do túnel.

20h00: Todo o pessoal foi embora e eu continuei conversando com a Dani durante quase duas horas.

22h00: Atrasadíssimo, voltei para casa, troquei de roupa e fui na casa do Jõao Pedro, meu amigo, para dar parabéns. Era sua festa de aniversário. Apesar dele ser um "porra-loca", admiro o carinho que tem pelos seus amigos e sua espontaneidade.

24h00: Ainda mais atrasado, foi até no Nacional Bar em Moema, para mais uma festa de aniversário. Dessa vez da Daniella Hiche, amiga de longa data. Conversei muito com o pessoal lá. Ainda estava muito agitado e feliz.

3h30: Saímos de lá. Deixei a irmã dela e um amigo nas suas devidas casas e voltei para minha.

4h00: Estacionei em casa e fiquei dentro do carro escutando Half A World Away, do R.E.M. Cai no sono.

5h00 (acho): Fui deitar. Deixei a chave no contato.

sexta-feira, 19 de agosto de 2005

Reflexão política

Complementando o último post, anexo abaixo um spam que recebi de um amigo meu.

"Haverá um dia em que todos voltaremos a ser felizes. Será o dia em que rosinhas serão apenas flores, garotinhos apenas crianças, genuínos serão coisas verdadeiras, serra será apenas um acidente geográfico ou uma ferramenta, genro apenas o marido da filha, lula apenas um molusco marinho e Severino, apenas o porteiro do prédio."

Efeito "Nescafé"


Tirada do estadão.com

Adoro como ligam uma notícia a outra.

:-)

"She can read. She's bad!"

Os que visitaram o meu blog antes do segundo post devem ter notado que ele já mudou de nome.

Estava usando uma referência da banda novaiorquina Interpol. É o nome do primeiro disco deles e a frase "Turn On The Bright Lights" é mencionada na música NYC, que tem mais a ver com o momento de vida que estou passando do que com o blog em sí. Por isso a mudança.

A banda é uns dos meus novos achados. O clip da música não tem nada de especial. Imagens gravadas em NightShot intercaladas com imagens em alto contraste, cuminando em uma sobreposição que lembra a abertura do 007 contra Goldfinger. O clip da Obstacle 1, também do mesmo disco, é muito melhor. Digido pela Floria Sigismondi [Blue Orchid, White Stripes], tem um trabalho de direção de arte e fotografia mais refinado.

quinta-feira, 18 de agosto de 2005

Amor é pra se sentir

Apesar de ter demorado mais de uma hora para escrever o último post, ainda não senti sono. Então cliquei no botãozinho "NEXT BLOG" na barra de ferramentas do Blogger aí em cima. Ele me levou a um blog aleatório. Fui cair neste.

Não pude deixar de me emocionar tanto pela mensagem, quanto pelo autor. Me identifiquei bastante com ele.

Agora acho que posso ir dormir.

Boa noite.

And so it is...


Não consegui me conter. Tive que levantar da cama pra escrever este post.

Para quem não sabe, minha esposa Carol e eu estamos encerrando nosso casamento. Estamos fazendo isso porque descobrimos que nos gostamos muito, mas que não vivemos os suficiente. Afinal de contas, temos 26 anos. Nos casamos com 23.

Estamos passando por muitas transformações e descobertas nos últimos 12 meses, desde que descobrimos que algo estava errado. Não com o outro, mas com o próprio. Ela começou a fazer terapia. Algumas semanas depois, senti que estava ficando defasado e comecei também. Ainda estamos fazendo e acho que não poderia ser melhor. Dificil. Dolorido. Sofrido. Mas, melhor. Também descobrimos que nosso carinho pelo outro persiste, então estamos tentando passar por esta fase sem criar ressentimentos.

Por que este título? Esta é a primeira frase da música The Blower's Daughter do Damien Rice. Tema do filme Closer.

"Ela te traiu? Você transou com uma prostituta em Nova York?"

Não.

Ao meu ver, a música fala muito claramente sobre nosso relacionamento. De certa forma, sempre soubemos que iríamos nos separar.

Durante nosso processo de avaliação do casamento que aconteceu recentemente, assistimos o filme. E como um bom filme sempre deve terminar, ele nos colocou um monte de dúvidas nas nossas cabeças. "Você já me traiu?", perguntou ela rapidamente após ouvirmos atentamente à música nos créditos finais. Esse filme realmente tem o dom de colocar minhocas na cabeça de qualquer casal (principalmente se o casal for muito certinho como nós). "Claro que não.", respondi.

Recomendação: Jamais assistam este filme junto com seu parceiro(a)!

Na verdade, descobrimos que o que mais nos chamou a atenção no filme, além do fato daquelas pessoas também precisarem desesperadamente de terapia, é a maneira como elas vivem livremente e intensamente todos os momentos das suas vidas. Algo que nunca experimentamos realmente. Nossas mentes sempre estavam focadas no outro, seja ele quem for, nunca em nós. É evidente que elas sofreram muito, mas também tiraram as suas dúvidas sobre a vida, o amor, o sexo, a paixão, o casamento da melhor forma que existe: experienciando.

Existem duas maneiras de se aprender as coisas na vida: conhecendo sobre as experiências de alguém ou experienciando elas mesmas. Cada dia que passa, acredito menos na primeira e mais na segunda. Na maioria das vezes, seguimos mais a primeira por medo. Isso traz, a longo prazo, uma insatisfação sem reazão aparente. O que me remete a outro ótimo filme: Passaporte Para O Céu. Mas este é assunto para outro post.

Encerro agora com a última frase da música:

I can't take my mind of you, 'till I find somebody new.